0

Zina é preso novamente em SP, por porte ilegal de arma

16 jan 2010
15h52
atualizado às 16h19

Marcos da Silva Heredia, o Zina, integrante do programa Pânico na TV, da Rede Tv, foi detido novamente neste sábado em São Paulo, por porte ilegal de um revólver calibre 38, segundo informações da Polícia Militar. Em novembro de 2009, ele foi preso com uma cápsula de cocaína e liberado porque a quantidade o classificava como usuário.

Zina ficou famoso após aparecer em programa humorístico
Zina ficou famoso após aparecer em programa humorístico
Foto: Ricardo Matsukawa / Futura Press

O humorista teria disparado tiros para o alto, mas a polícia não confirmou o motivo da denúncia anônima, que levou à prisão de Zina na Rua Capela da Lagoa, 100, no bairro Panamericano, zona norte da capital paulista - mesmo local onde havia sido preso em novembro.

Zina foi levado ao ao 72º Distrito Policial, na Vila Penteado, onde permanece detido. De acordo com policiais, o integrante do Pânico na TV estava visivelmente "alucinado", mas não foi encontrado nenhum entorpecente com ele. O crime de porte ilegal de arma é inafiançável e pode gerar sentença de dois a quatro anos de prisão, além de multa.

Marcos Heredia ficou famoso após aparecer em um dos quadros do programa humorístico com a frase "Ronaldo, brilha muito no Corinthians". Atualmente, ele faz aparições ao lado de Sabrina Sato e Alfinete, em matérias relacionadas ao time.

Cocaína
Em 28 de novembro do ano passado, Zina foi preso com cocaína e liberado, após assinar um termo circunstanciado - documento usado em ocorrências de menor potencial ofensivo - no 74º Distrito Policial (Jaraguá). O laudo da perícia feita no Instituto de Criminalística (IC) apontou que a quantidade da droga era de 5 decigramas.

Zina não quis prestar depoimento e declarou que só falaria sobre o caso em juízo, por orientação dos advogados. O integrante do Pânico deve responder a processo em liberdade por porte de drogas e a pena poderá ser prestação de serviços comunitários.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade