0

vc repórter: mulher é denunciada no MP por maus-tratos a cão

16 dez 2011
14h00
atualizado às 18h04

As imagens de uma enfermeira agredindo um cachorro da raça Yorkshire, na presença da filha, de três anos, repercutiu nas redes sociais e mobilizou a opinião pública nesta semana. Com base nas cenas de destempero e brutalidade, a vereadora Heloísa Helena (PSOL) formalizou nesta sexta-feira, 16, no Ministério Público de Goiás, a denúncia de maus-tratos. Por meio de sua conta no Twitter, a vereadora ainda defendeu a aprovação da Lei Lobo, que tramita em Brasília e revê a atual pena aplicada para crimes dessa natureza.

Durante o ato, a mulher arremessa o animal para o alto e o prende dentro de um balde. Com a agressão, o cachorro não resistiu aos ferimentos e morreu. Toda ação é presenciada por uma criança, que permanece no mesmo espaço. Indignados com as cenas do vídeo, os internautas realizaram uma petição pública online pedindo a apreensão da mulher, e aplicação de pena, mediante o crime. Até as 17h45, mais de 235 mil pessoas já haviam assinado o documento.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Formosa, em Goiás e, de acordo com o órgão, as investigações são realizadas há cerca de um mês. Contudo, o departamento estava em greve e o caso foi retomado há mais ou menos 10 dias.

Segundo a Polícia Civil, a enfermeira identificada como Camila Correa Alves de Moura teria prestado um depoimento informal e o inquérito está em fase de conclusão. "A advogada disse que a Camila estava estressada e com problemas", conta o delegado Carlos Firmino, responsável pelo caso.

De acordo com Firmino, essa não foi a primeira vez que o cão foi agredido. "Existem mais filmagens de outros dias. Estamos tentando consegui-las para acrescentarmos à investigação", afirma.

A criança que presenciou as cenas fortes deve passar, na próxima semana, por uma avaliação psicológica. "Chamamos psicólogos para conversar com a garota e também mandamos intimar o marido de Camila", diz Firmino.

Segundo ele, a enfermeira será a última pessoa a prestar depoimento sobre o caso. "Vamos ouvi-la em termos de qualificação e interrogatório, para descobrirmos a linha de defesa. Depois faremos um relatório e mandaremos para o Ministério Público", declara.

De acordo com a vereadora Heloísa Helena, o seu envolvimento com a causa é apartidário. "Estruturei a ação pela questão da criança e dos animais, que são militâncias minhas, desde sempre. É um problema grave incitar a cultura da violência em uma criança e, principalmente, ver que muitas pessoas que militam a compaixão e a preservação da integridade dos animais são ridicularizadas por isso", afirma.

Apesar dos problemas asmáticos, Heloísa Helena possui quatro cachorros e três gatos. A vereadora afirma que o caso é simbólico e serve como um novo exemplo triste, que representa a necessidade imediata de alteração no modo de punição para crimes de maus-tratos.

Os internautas Thais Mendonça, de Guarulhos (SP), Alan Sabel, de Joinville (SC), Gustavo Cristini, de Campinas (SP), Delano, de Taubaté (SP), Ramos e Rafael Azevedo, de São Paulo (SP), Felipão FAS, de Sorocaba (SP), Adriana Diniz, de Salto (SP), e Leandro Mantovani Silva, de Ribeirão Preto (SP), participaram do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

vc repórter

compartilhe

publicidade