publicidade
22 de agosto de 2010 • 11h53 • atualizado às 15h28

Suspeitos por invasão a hotel do Rio são levados para Bangu

Nove dos dez presos suspeitos de manter 35 pessoas reféns na cozinha do hotel Intercontinental, na zona Sul do Rio deixam a 15ª Delegacia de Polícia Civil
Foto: Luis Bulcão Pinheiro / Especial para Terra
 
Luís Bulcão Pinheiro
Direto de Rio de Janeiro

Nove dos dez presos responsáveis por manter 35 pessoas reféns na cozinha do hotel Intercontinental, na zona Sul do Rio, foram transferidos para o presídio de Bangu. Às 10h35min deste domingo (22), eles deixaram a 15° Delegacia de Polícia Civil, onde foram autuados por flagrante de sequestro e cárcere privado, associação ao narcotráfico e porte ilegal de armas. O menor, que estava junto com o grupo, foi transferido às 4h para uma Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA).

Jonathan Costa Soares, 21 anos, está sob custódia no hospital Miguel Couto. Ele foi ferido durante o tiroteio com PMs logo antes de os suspeitos se refugiarem no hotel. O jovem tentou fugir da Rocinha escondido em uma ambulância, mas acabou preso.

Entre os criminosos está Ítalo de Jesus Campos, 26 anos, o Perninha. Ele é identificado como sendo o braço direito do chefe do tráfico na Rocinha, Antônio Francisco Bonfim Lopes, conhecido como Nem. Junto com o grupo foram apreendidos 8 fuzis, cinco pistolas e três granadas.

Na 15° Delegacia de Polícia, os presos foram identificados, mas disseram que só vão prestar depoimento diante do juiz. Durante a transferência, mulheres, amigas e parentes dos presos acompanharam a saída deles gritando palavras de apoio. "Eu te amo, filho!", gritou uma delas que não quis se identificar.

A polícia civil requisitou os vídeos de todas as câmeras de segurança do hotel Intercontinental, dos condomínios onde os criminosos teriam passado e das câmeras de rua. O objetivo é identificar os participantes do grupo que fugiram. Segundo fontes da polícia, até agora foi possível identificar a participação de 29 pessoas no tiroteio com os policiais.

Testemunhas dizem que haveria mais de 50 pessoas no bando que foi abordado por policiais do 23° Batalhão da Polícia Militar. Um dos objetivos é descobrir se Nem estava no grupo que atirou contra os policiais.

Entenda o caso
Por volta das 8h deste sábado, um grupo de traficantes entrou em confronto com a Polícia Militar nas proximidades da favela da Rocinha. Dez criminosos fugiram e invadiram o Hotel Intercontinental, no bairro de São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro. Na troca de tiros, morreu Adriana Duarte de Oliveira dos Santos, 41 anos. Segundo a PM, a mulher fazia parte do grupo e havia mandado de prisão temporária expedido contra ela desde fevereiro.

Sete pessoas ficaram feridas, mas quatro já receberam alta. Os traficantes fizeram 35 reféns, entre hóspedes e funcionários, na cozinha do estabelecimento. Depois de quase duas horas de negociação com o Bope, o grupo se entregou. Com eles, foram apreendidos oito fuzis, cinco pistolas, munição, granadas e rádios.

Redação Terra