0

SP: homem suspeito de ligação com Yakuza prestou serviço à SSP

5 nov 2009
20h39
atualizado em 6/11/2009 às 16h23
Chico Siqueira
Direto de Araçatuba

A Polícia Civil e o Ministério Público de Birigui, interior de São Paulo, confirmaram que o empresário Renato Teruo Kassama, preso nesta quinta-feira acusado de liderar um esquema de roubo de veículos e receptação de cargas roubadas, prestava serviços para a Secretaria de Segurança Pública do Estado. Segundo as investigações, ele seria ligado à máfia japonesa Yakuza.

No portão da casa do empresário há um brasão que, segundo a polícia, é da Yakuza, a máfia japonesa
No portão da casa do empresário há um brasão que, segundo a polícia, é da Yakuza, a máfia japonesa
Foto: Chico Siqueira / Especial para Terra

Kassama foi preso em sua mansão, numa área nobre de Birigui. Nos três portões da casa há símbolos, que, segundo a Polícia Civil, são o brasão da Yakuza, a máfia japonesa. "As checagens feitas mostram que realmente esses símbolos são o emblema da máfia japonesa", afirmou o delegado Seccional de Araçatuba, Ely Vieira de Faria.

O empresário era o responsável pelo pátio onde ficam guardados os carros apreendidos pela Polícia Militar em Birigüi. Além disso, ele também é dono de uma empresa que presta o serviço de guincho para a Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) e de outra empresa especializada em customização de veículos.

Antes de ser preso, Kassama era investigado havia pelo menos um ano. Ele é acusado de desviar peças dos veículos apreendidos. Ele também esteve preso por porte de armas de uso restrito. O promotor Paulo Sérgio Ribeiro da Silva, de Birigui, disse que o MP apura agora como Kassama foi indicado para prestar esses serviços para a secretaria.

Vinte e três veículos sem comprovação de numeração de chassi foram apreendidos na oficina de Kassama. Os veículos - incluindo um triciclo com traseira de Mercedes S-500, avaliado em R$ 200 mil - estão sendo periciados pela Polícia para futura identificação dos verdadeiros proprietários, uma vez que a numeração dos chassi dos veículos estaria raspada. Mas foi um antigo Ford Corcel 2 o veículo apreendido de maior importância. O carro era roubado e seria desmanchado, mas, após ser chamado à delegacia, o dono reconheceu o automóvel. Com isso, a prisão, que seria temporária, se tornou prisão em flagrante.

Outras três pessoas foram presas acusadas de fazer parte da quadrilha, que, segundo a Polícia Civil, roubava caminhões de cargas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Outras sete pessoas já estavam presas suspeitas de roubarem duas carretas carregadas. De acordo com o delegado Ely Faria, duas pessoas, que também fariam parte da quadrilha, estão sendo procuradas.

Yakuza
Segundo o delegado, desde dezembro os agentes investigavam Kassama, cuja identidade foi repassada à Interpol para possível identificação. A partir de agora, a Polícia Federal vai investigar suas supostas ligações com a máfia japonesa. Segundo Faria, Kassama morou 16 anos no Japão, onde seria dono de uma casa noturna chamada Sunshine.

Na casa de Kassama, os policiais apreenderam três computadores, 12 celulares, quatro espadas, além de duas caminhonetes. O empresário foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José do Rio Preto, onde aguardará o processo. Além de Kassama, foram presos Julio Cesar Dias Gomes, Thiago Carmona Jacob e Mauro Issao Tizura.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade