PUBLICIDADE

Polícia

SP: dono de Porsche chora e nega embriaguez em colisão com morte

22 jul 2011 - 04h45
(atualizado às 08h50)
Compartilhar

O empresário Marcelo Malvio Alves de Lima, 36 anos, envolvido em acidente de trânsito quando dirigia um Porsche na madrugada do último sábado, no Itaim Bibi, em São Paulo, afirmou nessa quinta-feira, em depoimento à polícia, que não estava bêbado no momento do acidente, que acabou matando a advogada Carolina Menezes Cintra Santos, 28 anos. Lima disse que acelerou quando estava no semáforo porque teve medo de ser assaltado depois de ver duas "pessoas estranhas" e negou estar em alta velocidade, apesar de a perícia apontar que o carro estava a 150 km/h no momento da colisão, segundo informações da Folha de S.Paulo.

O empresário, que chorou ao fim do depoimento, disse que jantou com uma amiga, a deixou em casa e seguia para uma lanchonete quando aconteceu o incidente. Lima contou que dirigia pouco acima dos 60 km/h permitidos na via. O acidente aconteceu por volta das 3h30 de sábado, no cruzamento das ruas Bandeira Paulista e Tabapuã. A advogada Carolina Menezes Cintra Santos, que conduzia um Tucson, morreu na hora. Lima tinha sinais de embriaguez e, segundo o boletim de ocorrência, saiu do carro preocupado apenas com o veículo importado. O empresário pagou uma fiança de R$ 300 mil para não ficar preso.

Os bombeiros estiveram no local para evitar explosão
Os bombeiros estiveram no local para evitar explosão
Foto: Luiz Guarnieri / Futura Press
Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra