Polícia

publicidade
09 de março de 2012 • 17h25 • atualizado às 19h08

SP: 'Batman de Taubaté' revela como vai combater o crime na cidade

O militar da reserva ficou conhecido como o "Batman de Taubaté"
Foto: / Reprodução
 
Fábio Santos
Direto de São Paulo

O militar aposentado André Luiz Pinheiro, 50 anos, virou o centro das atenções em Taubaté, cidade localizada a 154 km de São Paulo, durante a última semana o reservista da Marinha ficou conhecido como o "Batman de Taubaté" após ter sido convidado pela Polícia Militar para usar a fantasia do homem morcego e participar de um programa que visa diminuir o crime em bairros violentos da cidade. Na tarte desta sexta-feira, Pinheiro se reuniu com a major Eliane Nikoluk Scachetti, comandante do 5º BPMI (Batalhão da Polícia Militar do Interior), em Taubaté, para definir como o "super-herói" poderia contribuir para a diminuição do índice de criminalidade na cidade.

O mais novo famoso da cidade do Vale do Paraíba conversou com o Terra e contou detalhes desse novo projeto, deixando claro que não vai sair pelas ruas combatendo os bandidos. "Acho que eles me convidaram após conhecerem o trabalho que realizo como cosplay (estilo de vida que reúne pessoas que se fantasiam de personagens), que na verdade é um hobby que eu tenho. Eu não vou sair pelas ruas correndo atrás de bandido. Eu não tenho competência nem sou pago para isso, minha função no projeto será outra", disse.

De acordo com o militar, durante a conversa a comandante do batalhão explicou que, se a proposta for aprovada pelo alto comando da PM, o militar aposentado atuará como uma espécie de agente comunitário em bairros mais carentes. "A ideia do projeto é aproveitar a figura dos super-heróis para resgatar os ideais de valores, respeito às regras e do conceito da família. Ideais que estão tão afastados, principalmente nas comunidades mais carentes", falou Pinheiro.

Apesar de ser uma pessoa conhecida por se fantasiar em festivais e apresentações, o militar afirma que já teve experiências sociais desse tipo quando atuava pela Marinha. "Na Marinha eu já participava de ações de conscientização em regiões mais afastadas. Quando desembarcávamos em comunidades mais carentes no norte e no nordeste, por exemplo, colocávamos em execução esse papel social", disse.

Se o projeto for aprovado, o "herói" de Taubaté já terá a sua primeira missão no dia 17 de março. De acordo com Pinheiro, a ação da Polícia Militar deverá continuar no bairro Esplanada Santa Terezinha, considerado um dos bairros com maiores índices de infrações praticadas por crianças e adolescentes. "A ideia é continuar o trabalho de conscientização no bairro Esplanada, onde já houve uma ação na semana passada. Vamos continuar com ela no dia 17 de março", disse.

Após a reunião, o militar se disse confiante e animado para o trabalho. Segundo Pinheiro, se tudo der certo, outros heróis poderão participar do projeto. "Se o projeto vingar, no futuro poderei usar o meu 'arsenal' de heróis. Quem sabe até outros entusiastas do cosplay possam participar e ajudar nesse ato tão necessário", falou.

A escolha
De acordo com a major Nikoluk, o projeto no bairro Esplanada nasceu a partir de um estudo desenvolvido em 2011, que apontou um aumento em 50% de atos infracionais envolvendo crianças e adolescentes na cidade.

"Pesquisamos por meio de um estudo e desenvolvemos um sociograma do crime, que apontou o relacionamento dessas crianças com infratores envolvidos com o tráfico, o que acabava gerando violência por parte dos mais jovens. Detectamos que a causa do problema não estava na falta de força policial e sim na prevenção primária, como a educação, relação familiar, falta de lazer e esporte", disse.

Após essa constatação, a polícia e outras áreas da sociedade civil, como associações, igrejas, universidades e a própria imprensa local resolveram se unir para elaborar um plano de combate ao aumento da criminalidade em determinados locais. Desse modo, de acordo com a major, nasceu o Movimento pela Paz, que teve a sua primeira ação realizada no 5 de março. "Fizemos uma ação no Esplanada, mas a participação não foi muito grande. Então, vimos uma reportagem sobre o André e pensamos em convidá-lo para participar, sendo uma referência para as crianças, como uma fonte de exemplos de cidadania e valores", falou.

De acordo com a policial, Pinheiro vai receber uma orientação de policiais especializados em trabalhos sociais e o seu principal trabalho será junto às crianças e aos adolescentes. "Ele vai falar sobre o perigo das drogas e demonstrar que é possível ter sucesso longe do crime", completou a oficial.

Quem é o 'Batman de Taubaté'?
Aposentado da Marinha do Brasil, André Luiz Pinheiro conheceu o mundo do cosplay quase que por acaso. "Sempre fui apaixonado por super-heróis e histórias em quadrinho, então, em um belo dia, resolvi comprar pela internet uma fantasia e nunca mais parei", disse.

Após colocar fotos com fantasias em redes sociais, Pinheiro acabou reencontrando um antigo amigo da Marinha que lhe apresentou o mundo cosplay. "Esse meu amigo me convidou para fazer uma apresentação no Rio de Janeiro e eu consegui ficar em 4º lugar na competição, isso acabou me levando para esse mundo", falou.

Depois disso, Pinheiro começou a comprar mais uniformes, com os mais variados temas e hoje já é conhecido no meio. "Eu passei a comprar roupas mais elaboradas e hoje, para te falar a verdade, não tenho nem ideia de quantos uniformes tenho em casa. Sei que são mais de 200, e o meu quarto de hóspedes já virou o local para guardar essas roupas", disse.

Sobre a repercussão da mídia, o militar disse que ficou um pouco assustado, mas acha que com a implantação do projeto, ficará claro que a ação pode ser produtiva. "Fiquei assustado com a repercussão da mídia, mas acho que todos vão ver que não é preciso ter um Batman na rua para correr atrás dos bandidos. O que vamos fazer é um trabalho preventivo, e são esses trabalhos que dão os melhores frutos", falou.

Terra