PUBLICIDADE

Polícia

SP: atropelador de ciclista tem CNH suspensa, mas ganha liberdade

Juiz determinou que Alex Kozloff Siwek aguarde julgamento em liberdade

21 mar 2013 - 17h11
(atualizado às 17h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Prótese de braço simboliza o membro perdido pelo ciclista  David Souza dos Santos no último domingo
Prótese de braço simboliza o membro perdido pelo ciclista David Souza dos Santos no último domingo
Foto: J. Duran Machfee / Futura Press

O estudante de Psicologia Alex Siwek, 22 anos, que atropelou o limpador de vidros David Santos Souza, 21 anos, na avenida Paulista no dia 10 deste mês, obteve nesta quinta-feira um habeas-corpus em liminar e poderá aguardar o julgamento em liberdade. O desembargador Breno Guimarães, da 12ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou também a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do suspeito até o desfecho da ação penal.

Tremembé, a prisão dos crimes 'famosos'

Veja os desafios que os ciclistas enfrentam nas cidades

O universitário está preso desde o dia 10, depois de se entregar à polícia após jogar o braço da vítima - amputado no acidente - em um córrego na avenida Doutor Ricardo Jafet. Ele fica proibido de se ausentar da comarca de São Paulo e deve comparecer periodicamente em juízo, segundo determinou a Justiça. O magistrado afirmou que o estudante não tem envolvimento criminal anterior; possui residência fixa e apresentou-se, de forma espontânea, à polícia. 

"Tais circunstâncias, embora isoladamente não impeçam a prisão em flagrante ou mesmo a decretação da prisão preventiva, são fortes indicativos de que ele não tem intenção de se furtar à aplicação da lei penal ou de causar embaraço à instrução. Forçoso concluir, nesse contexto, que nada indica que a soltura do paciente trará risco à ordem pública, à instrução criminal ou à aplicação da lei penal, sendo defeso fazer presunções desfavoráveis ao acusado", escreveu ele em sua decisão.

O acidente

David ia de bicicleta para o trabalho na madrugada de 10 de março quando foi atropelado por Alex e teve parte de seu braço amputado. Após o acidente, o universitário fugiu do local sem prestar socorro à vítima, com o braço do limpador de vidros dentro de seu carro. Ele ainda jogou o membro em um córrego próximo à avenida Doutor Ricardo Jafet. 

Depois de se entregar à polícia, o estudante se negou a fazer exame de bafômetro, de sangue e urina, e só realizou o exame clínico no Instituto Médico Legal (IML) às 11h21, mais de cinco horas depois do acidente. 

Testemunhas disseram que Alex apresentava sinais de embriaguez, e que ele dirigia em alta velocidade pela avenida Paulista, cortando os outros veículos, antes de atropelar David.  

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade