7 eventos ao vivo

SP: após pagar fiança, rapaz que atropelou 2 em Congonhas será solto

10 dez 2012
20h00
atualizado às 20h02
  • separator
  • comentários

A Justiça determinou, nesta segunda-feira, a liberação do assistente técnico Wagner Gomes Alvarenga, 23 anos, preso no sábado após atropelar e matar uma mulher e deixar sua filha internada em estado grave na zona sul de São Paulo. Pouco antes das 6h do último sábado, após sair de uma festa de fim de ano da empresa, o rapaz perdeu a consciência enquanto dirigia um Honda Civic prata na área de desembarque do aeroporto de Congonhas, subiu na calçada com o veículo e causou o acidente fatal.

A soltura foi determinada após o pagamento da fiança de R$ 12,4 mil, estipulada no sábado pelo plantão judiciário. De acordo com o advogado de defesa, Hednilson Fitipaldi, a família arrecadou o valor junto a familiares e amigos. O pagamento foi feito na 1ª Vara Criminal do Júri, para onde foram encaminhados os autos. Em liberdade provisória, Alvarenga deve aguardar a conclusão da perícia criminal realizada pela Polícia Civil. Além de pagar multa e receber penalidades administrativas, ele responderá por homicídio doloso - quando há intenção de matar - e por tentativa de homicídio.

O acidente
O atropelamento ocorreu pouco antes das 6h do sábado. Alvarenga contou à polícia ter participado de uma festa de fim de ano da empresa na rua Marquês de São Vicente, na zona oeste da capital, onde "bebeu um pouco". Ele saiu de lá com um amigo, mas sentiu que não estava bem para dirigir, e parou para descansar no parque do Ibirapuera. Após o intervalo, pegou a avenida 23 de Maio para o lado oposto, e resolveu fazer o retorno por dentro do aeroporto, onde perdeu o controle do carro e subiu na calçada, atropelando as duas mulheres que estavam na área de desembarque.

A vítima fatal é Clarice da Costa, 56 anos, mãe de Camila Turolla, 27 anos, que permanecia internada no Hospital Saboya, no bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo. Os outros dois que as acompanhavam eram o marido de Camila e o filho do casal, de 5 anos. A família é de Piracicaba, no interior paulista, e veio à capital de carona com um amigo para embarcar em uma viagem de turismo a Florianópolis.

"Ele vinha dirigindo um Honda Civic, subiu na calçada em uma velocidade incompatível para o local e acabou atingindo mãe e filha", contou Fernanda Herbella, delegada-assistente da delegacia do Aeroporto de Congonhas, onde foi registrado o flagrante. Segundo ela, Alvarenga contou ter perdido a consciência pouco antes do acidente, e não se lembrava do momento do impacto. O exame do bafômetro de Alvarenga mostrou uma concentração de 0,28 miligramas de álcool por litro de ar expelido (mg/l) - índice pouco abaixo do limite para imputar a ele uma sanção criminal (0,3 mg/l), mas que ainda o impedia legalmente de dirigir.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade