0

SP: após 'tropa de choque' de moradores, reintegração é suspensa

17 jan 2012
11h46
atualizado às 11h53

A juíza federal Roberta Monza Chiari concedeu uma liminar na madrugada desta terça-feira favorecendo os moradores da comunidade de Pinheirinho, em São José dos Campos, a 87 km de São Paulo, e suspendeu temporariamente a reintegração de posse expedida pela 6ª Vara Cível da cidade. A decisão foi concedida às 4h20, quando todos os acessos ao Pinheirinho já estavam fechados pela Polícia Militar e os moradores mantinham-se prontos para resistir à repressão policial. Na sexta-feira, eles montaram uma "tropa de choque" e se armaram com capacetes, escudos e lanças improvisados.

Com escudos e lanças improvisados, a 'tropa de choque' quer defender 1,6 mil famílias que moram no local
Com escudos e lanças improvisados, a 'tropa de choque' quer defender 1,6 mil famílias que moram no local
Foto: Mário Ângelo / Futura Press

O terreno foi ocupado em 2004 e, de acordo com um cadastramento do município de agosto de 2010, cerca de 1,6 mil famílias moram no local. O acampamento foi erguido sobre uma área que, segundo a prefeitura, pertence à massa falida da empresa Selecta, do grupo do empresário Naji Nahas. Ele é o autor da ação de reintegração de posse, acatada pela Justiça local no fim do ano passado.

Um comboio da Polícia Militar com cerca de 2 mil homens estava a caminho da ocupação, quando foi informado da decisão judicial. O clima de tensão na comunidade se transformou numa festa, com fogos de artifício, palavras de ordem e bandeiraço.

Ainda na sexta-feira, um ato de solidariedade aos moradores de Pinheirinho foi realizado, de acordo com o PSTU, com participação de cerca de 500 moradores, 18 sindicatos, além de movimentos sociais, partidos políticos e entidades estudantis. Segundo o partido, os sindicatos deverão fazer mais ações de apoio, e já foram confeccionados 20 mil adesivos e 50 mil panfletos em apoio à resistência do Pinheirinho.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade