Polícia

publicidade
14 de julho de 2011 • 14h46 • atualizado às 16h23

SP: Alckmin anuncia reajuste de 27,7% para policiais em 2 anos

Simone Sartori
Direto de São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou oficialmente na tarde desta quinta-feira, no Palácio dos Bandeirantes, um reajuste de 15% sobre o salário-padrão a toda categoria policial do Estado. O aumento será retroativo a 1º de julho e contempla policiais civis, militares, científicos e dos agentes de segurança penitenciária e agentes de vigilância e escolta penitenciária. A categoria terá ainda um reajuste de 11% a partir de agosto em 2012. Ao todo, será um aumento de 27,7% em dois anos.

"É um esforço do governo do Estado praticamente no encerramento do primeiro semestre do primeiro ano de mandato. Estamos dando um aumento e, simultaneamente, reestruturando a carreira das polícias Civil, Militar, Científica e agentes da Administração Penitenciária", disse Alckmin.

Questionado se o aumento incentivará a eficiência da polícia, o governador enumerou esforços do governo para a valorização da carreira. "Para se ter uma ideia, o Brasil tem 25 homicídios por 100 mil habitantes e São Paulo tem menos de 10. O aumento salarial é um estímulo. Nós queremos valorizar a carreira policial, com aumento e reestruturação. Antes, você tinha um gargalo na carreira, pois as pessoas tinham dificuldade de ascender. Nós queremos uma polícia extremamente preparada", afirmou Alckmin.

Sobre uma eventual ameaça de greve de delegados, que teriam considerado o aumento abaixo do esperado, Geraldo Alckmin disse que o reajuste é o "máximo" que pode ser dado para a categoria. "Isso significa R$ 1,1 bilhão por ano, e normalmente o reajuste é feito mais ao final de mandato. Nós estamos fazendo praticamente ao término do primeiro semestre e a inflação foi de 6%. Nunca é o ideal, eu acho que esse é um esforço permanente que a gente tem que fazer para poder avançar", argumentou.

O comandante-geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel Álvaro Batista Camilo, afirmou que o reajuste agrada a categoria. "Esse aumento veio ao encontro do que estávamos pleiteando, um aumento a todos os PMs, de forma linear e forma justa. O diferecial na ponta da linha foi significativo e é isso que vamos explicar agora para os nossos policiais. E o mais importante, já por dois anos, há um segurança no que diz respeito a reajuste", disse ele, que afirmou que os "bicos" já "dimuíram bastante", independente do aumento salarial.

Mais de 150 mil servidores na ativa e cerca de 103 mil aposentados e pensionistas serão beneficiados com o reajuste de 27,7%, que será feito em duas parcelas. O governo vai promover automaticamente ainda 14 carreiras de policiais civis (escrivãos, investigadores, agentes) da 4ª classe para a 3ª classe da carreira.

A proposta do reajuste será enviada para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para aprovação dos deputados no fim deste mês.

Terra