5 eventos ao vivo

SP: ação de reintegração de Pinheirinho detém 16 em São José

22 jan 2012
19h25
atualizado em 23/1/2012 às 14h46

A ação policial de reintegração da região onde está localizada a comunidade Pinheirinho, em São José dos Campos, a 87 km de São Paulo, deteve 16 pessoas neste domingo. Moradores e a polícia entraram em confronto. Por volta das 18h, 500 pessoas se reuniram no vão do Museu de Arte de São Paulo (Masp) para protestar contra a retirada das cerca de 1,6 mil famílias que moram no local. A polícia afirmou que o protesto no Masp bloqueou a avenida Consolação, mas sem registro de confronto, feridos ou detidos.

Mais cedo, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, afirmou que o confronto na região de Pinheirinho havia deixado pelo menos uma pessoa ferida gravemente, ao contrário do que alega a PM, segundo a qual ninguém se feriu no confronto.

Em nota, o sindicato identificou o homem ferido como David Washington Castor Furtado, 32 anos. Morador de Pinheirinho, ele estaria com seu filho de 10 meses no colo, quando foi atingido por um disparo de arma de fogo. A bala teria atingido a perna de David quando ele estava próximo ao Centro de Triagem. O sindicato afirma que ele passou por cirurgia e, segundo médicos, corre o risco de ficar paraplégico.

Os invasores ocupam a área desde 2004 e, de acordo com um cadastramento do município de agosto de 2010, cerca de 1,6 mil famílias moram no local. O acampamento foi erguido sobre uma área que, segundo a prefeitura, pertence à massa falida da empresa Selecta, do grupo do empresário Naji Nahas.

Na semana passada, a juíza federal Roberta Monza Chiari havia suspendido temporariamente a reintegração de posse expedida pela 6ª Vara Cível da cidade. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, o comando da Polícia Militar recebeu uma ordem, por volta das 10h30, que determina a suspensão imediata da reintegração de posse. O documento foi assinado pelo juiz plantonista Samuel de Castro Barbosa Melo, da Justiça Federal, a mando do Tribunal Regional Federal.

Apoiadores dos moradores de Pinheirinho protestaram, na tarde deste domingo, em frente ao condomínio onde mora o prefeito do município, Eduardo Cury (PSDB). Eles exigem que Cury atenda à reivindicação dos moradores e regularize a área.

A prefeitura garantiu que já havia atendido 235 famílias que foram desalojadas durante a reintegração. Segundo nota da administração municipal divulgada hoje, 120 dessas famílias estão de mudança para outros endereços na cidade, 110 serão alojadas temporariamente em abrigos e quatro receberam passagens para voltar às suas cidades de origem. Além disso, cerca de 900 pessoas receberam alimentação, apoio para transporte e guarda de seus bens.

De acordo com informações divulgadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, tratores da prefeitura derrubaram uma capela construída pelos moradores em Pinheirinho. Um barracão que funcionava de sede para reuniões e assembleias dos moradores também teria sido derrubado.

O sindicato afirmou ainda que, por volta das 19h20, ocorriam novos confrontos entre a Polícia Militar e os moradores no Centro Poliesportivo Campo dos Alemães. "A PM está usando novamente bombas de gás contra os moradores", dizia a nota.

Terra

Colaborou com esta notícia o internauta Lineu Kohatsu, de São Paulo (SP), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Mulher deixa a comunidade com filho no colo
Mulher deixa a comunidade com filho no colo
Foto: Reuters
vc repórter

compartilhe

publicidade