Polícia

publicidade
20 de novembro de 2013 • 17h31 • atualizado às 19h12

RS: jovem confirma que fez e postou foto íntima de adolescente que se matou

 

Um adolescente de 17 anos confirmou nesta quarta-feira para a Polícia Civil de Veranópolis, na serra gaúcha, que fez e divulgou uma foto íntima da adolescente de 16 anos que cometeu suicídio após ver sua imagem na internet na quinta-feira. De acordo com o delegado Marcelo dos Santos Ferrugem, que investiga o caso, o jovem, que era amigo da menina, fez a foto há cerca de oito meses e repassou para quatro amigos.

“O jovem contou que eles teriam conversado através do Skype, ligaram a webcam, e ele pediu que ela mostrasse os seios. Ela levantou a blusa e ele deu um print da tela do computador. Ele teria passado a imagem para quatro amigos ainda na época que isso aconteceu, por volta de março”, disse o delegado, que ouviu o jovem na manhã de hoje, na companhia da mãe.

Segundo Ferrugem, a adolescente tomou conhecimento que a foto circulava pela internet no dia em que se suicidou. “Possivelmente ficou preocupada com a repercussão da imagem na família e se matou. O que impressiona é a rapidez com que ela tomou uma decisão dessa”, diz o delegado, que prefere não comentar a forma como a menina se suicidou.

O corpo da jovem foi encontrada na casa da família na quinta-feira. Em seu Twitter, a adolescente publicou, no mesmo dia em que se matou, a sua última mensagem. "Hoje de tarde eu dou um jeito nisso. Não vou ser mais estorvo para ninguém", escreveu. 

Conforme o delegado, o jovem que divulgou as fotos afirma que não tinha um relacionamento com a adolescente. Eles seriam apenas colegas de aula. “Ele disse que nem ‘ficar’ com ela ficou. Foi aquele ato inconsequente, típico de adolescente. Ele não imaginava que fosse ter uma repercussão dessa e que fosse acabar desse jeito.”

O inquérito foi instaurado depois que os pais da jovem registraram ocorrência, na terça-feira, e agora o delegado apura se a situação se enquadra no artigo 241A do Estatuto da Criança e do Adolescente, que qualifica como crime grave a divulgação de imagens de crianças ou adolescentes em situação de sexo explícito ou pornográfica. “A investigação não é pela morte em si, porque suicídio não é crime pela lei penal”, disse.

Segundo o delegado, o autor da imagem poderá ser responsabilizado, assim como os que repassaram a foto. “Considerando a hipótese que se caracterize o crime pelo ECA, esse jovem não deverá ir para a prisão; no máximo, deverá receber medida sócio-educativa, pelo ato infracional. Também não é caso de internação na Fase (Fundação de Atendimento Socioeducativo), que só recebe casos de grave ameaça ou violência contra pessoa, como homicídios.”

Outras pessoas que receberam e divulgaram a foto também serão chamadas a depor nos próximos dias. Segundo o delegado, a polícia ainda fará perícia nos computadores e nos celulares da jovem e do autor da imagem.

Terra