Polícia

publicidade
25 de março de 2014 • 17h55 • atualizado às 19h51

Roubos de veículos crescem 24,48% em 2014 em São Paulo

Estado de São Paulo acumula 18.163 veículos roubados nos dois primeiros meses do ano; em 2013 número foi de 14.591 no período

Para secretário, roubo de carros é um dos crimes com maior potencial de morte da vítima durante o assalto
Foto: Vagner Magalhães / Terra
  • Vagner Magalhães
    Direto de São Paulo
 

O número de roubo de veículos disparou nos dois primeiros meses do ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro, foram roubados 18.163 veículos no Estado de São Paulo, contra 14.591 no mesmo período do ano passado. Os números representam um aumento de 24,48%.

O roubo de veículos é considerado pelo secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, como um dos crimes com maior potencial de morte da vítima durante o assalto, o latrocínio. 

E esses números seguem altos. Nos dois primeiros meses do ano, 67 pessoas foram mortas durante assaltos no Estado. Foram 34 vítimas em janeiro e 33 em fevereiro, número idêntico ao ocorrido em 2013.

No ano passado, São Paulo registrou em 2013 a morte de 385 pessoas em assaltos. O número é o maior da série histórica desde 2005, quando o número de vítimas passou a ser contabilizado. Antes de 2005, eram registrados apenas o número de casos, sem contabilizar o número de vítimas. Em 2004 foram 390 casos de roubo seguido de morte.

De acordo com o secretário, a situação deve melhorar com a entrada em vigor da lei dos desmanches, em julho. Pela lei, aprovada em agosto do ano passado, a inscrição estadual de desmanches que não estiverem de acordo com a legislação será cassada. Para comercializar peças os estabelecimentos terão de se credenciar junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e à Secretaria Estadual da Fazenda. 

Vieira, afirma que para melhorar os números é preciso investir nos quatro "is": inteligência, integração, investigação e menor impunidade". "A situação é preocupante e a polícia está trabalhando para melhorar esses números. Somente no ano passado foram realizadas cerca de 169 mil prisões", disse.

Roubos esclarecidos
O secretário afirmou também que apenas 2% dos roubos praticados no Estado são esclarecidos. Esse tipo de crime registrou expressivo aumento. Em comparação com fevereiro de 2013, o mesmo mês deste ano teve aumento de 37,2% nesse tipo de crime. Foram 18,4 mil roubos no ano passado, contra 25,3 mil no mês passado.

Grella ponderou, no entanto, que o crescimento do número de roubos está relacionado com a redução da subnotificação. Em dezembro passado, a Polícia Civil passou a aceitar o registro desse tipo de crime pela internet. "Essa tendência de aumento tem que ser contextualizada com essa nova forma, que facilita para as pessoas vítimas de roubo registrarem a ocorrência. Nós sabemos que haveria esse aumento", enfatizou ao comentar os dados.

De acordo com o secretário, pesquisas de abrangência nacional indicam que em torno de 65% das vítimas de roubo não comunicam as autoridades. Apesar do grande percentual de casos subnotificados, Grella admitiu que não se pode atribuir o aumento do número de casos apenas à facilitação do registro da ocorrência. "Nós não estamos dizendo que esse aumento se deve apenas e exclusivamente à Delegacia Eletrônica", acrescentou.

A falta de solução dos crimes é um problema, que segundo Grella, afeta todo o país. "A taxa de esclarecimento de crimes é baixa. Não é um problema de São Paulo, é um problema geral da polícia judiciária, e nós estamos investindo muito nesta matéria", ressaltou o secretário, que anunciou a contratação de 2,1 mil agentes para a Polícia Civil ainda este ano.

O secretário também atribuiu as dificuldades em reduzir o número de roubos à conjuntura nacional. "Nós vivemos um problema que não é local, não é da cidade de São Paulo, do estado de São Paulo, ele é nacional. Pode pegar os indicadores de outros estados. Quais são as causas? São econômicas, são sociais e são de violência também, porque a droga é um fator desencadeante da prática de outros crimes".

Em relação aos homicídios, o número permaneceu praticamente estável na capital. Foram 86 casos em fevereiro deste ano, contra 89 no mesmo mês de 2013. Em todo o estado foram registrados 329 assassinatos, 11,3% menos do que o verificado em fevereiro do ano passado. O número de latrocínios ficou estável no estado, com 33 casos em fevereiro deste ano, o mesmo número do ano passado.

Com informações da Agência Brasil

Terra Terra