PUBLICIDADE

RJ: tiros que atingiram ônibus partiram de fora, indica nova perícia

11 ago 2011 12h23
| atualizado às 12h26
Publicidade

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) analisam na manhã desta quinta-feira peças e a carcaça do ônibus que foi sequestrado na noite de terça-feira por quatro suspeitos na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro (RJ). O laudo prévio apontou que os tiros foram disparados de fora para dentro do veículo, na altura dos pneus, no lado esquerdo. A análise indica a intenção de parar o ônibus.

Testemunhas já disseram que os os criminosos não dispararam dentro do veículo. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, a perícia deve produzir um laudo conclusivo sobre a forma como agiram os policiais durante a abordagem ao coletivo.

Em nota divulgada na noite de quarta-feira, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse que "houve erro" na maneira como policiais tentaram parar o ônibus.

Na ocasião, policiais militares atiraram contra o veículo com reféns para que ele parasse. Quatro pessoas estão internadas, uma delas é um PM. Três homens foram presos e um suspeito está sendo procurado.

O sequestro
O ônibus com itinerário Praça XV - Duque de Caxias, foi cercado pela polícia na pista sentido Praça da Bandeira, na altura do Sambódromo, no centro do Rio. Quando o veículo parou no ponto, os criminosos entraram e pagaram a passagem. O motorista desconfiou e na parada seguinte conseguiu fazer sinal para dois policiais, aproveitando para fugir.

PMs do Batalhão de Policiamento de Choque e do Bope foram até o local. Os pneus do coletivo foram furados pelos policiais após duas tentativas de fuga dos criminosos. Policiais armados de fuzis e pistola se posicionaram do outro lado da pista.

Dos bandidos que entraram no ônibus, um saltou do veículo com uma refém e depois fugiu, roubando um carro e mantendo um casal refém até Manguinhos, no subúrbio do RIo de Janeiro. Segundo a polícia, testemunhas afirmaram em depoimento que os criminosos não dispararam dentro do veículo.

Feridos
Entre os cinco feridos durante o assalto ao ônibus na Avenida Presidente Vargas, três permanecem internados no Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro. O caso mais grave é o de Liza Monica Pereira, que foi baleada no tórax e está em estado grave com fraturas na costela e na clavícula e uma contusão no pulmão. Ela está no Centro de Terapia Intensiva do hospital e não há previsão de alta.

Já Alcir Pereira, 56 anos, foi atingido no pescoço e está em observação na enfermaria. O estado de saúde dele é estável. Fabiana Gomes da Silva, 30 anos, levou um tiro na região do glúteo e passa bem. Outro homem foi atingido de raspão em uma das pernas e já foi liberado. Um policial também ficou ferido. Atingido na perna, ele segue internado no Hospital Central da Polícia Militar. Entre os reféns, 11 saíram ilesos na operação.

Viaturas da PM cercaram o ônibus durante as negociações para a rendição dos sequestradores
Viaturas da PM cercaram o ônibus durante as negociações para a rendição dos sequestradores
Foto: Carlo Wrede / O Dia
Fonte: O Dia
Publicidade