0

RJ: idoso é morto após confusão em protesto na UPP de Manguinhos

19 dez 2013
18h40
atualizado às 18h55
  • separator
  • 0
  • comentários

Um homem de 81 anos foi morto com um tiro na cabeça durante um protesto de moradores do Arará/Mandela, parte do complexo de favelas de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, na noite de quarta-feira. Moradores da favela Mandela 2 e policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local se envolveram em uma confusão por volta das 21h, que terminou com a morte de José Joaquim Santana. Um policial militar assumiu a autoria dos disparos.

Os moradores protestavam contra a prisão de um suspeito na localidade conhecida como Predinhos. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, o suspeito foi encontrado com uma quantidade não contabilizada de maconha e seria encaminhado a uma delegacia da região quando os moradores começaram a jogar pedras e outros objetos nos PMs e no carro da UPP.

Para conter o protesto, os policiais teriam utilizado gás de pimenta e feito disparos para o alto, atingindo Santana. Durante a manifestação, a avenida Leopoldo Bulhões, que liga Bonsucesso a Benfica, chegou a ser fechada pelos moradores por cerca de 30 minutos. O idoso foi encontrado com um tiro na cabeça e morreu na hora.

O policial responsável pelo disparo foi identificado pelo comandante da UPP, capitão Paulo Ramos, mas não teve a identidade revelada. O caso está a cargo da Delegacia de Homicídios, que realizou uma perícia no local e irá passar o dia ouvindo policiais e testemunhas. A comunidade teve o policiamento reforçado. 

Nesta quinta-feira também é o aniversário de cinco anos do projeto das UPPs, que começou com um núcleo na favela Santa Marta, na zona sul da cidade. Apesar da longevidade, as UPPs enfrentam resistência em alguns pontos e os casos de violência e tiroteios em comunidades ocupadas pela polícia têm se tornado mais frequentes.

 

Veja também:

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade