publicidade
22 de janeiro de 2011 • 06h53

RJ: Exército afasta 53 militares do Complexo do Alemão

Éxército está no Complexo do Alemão desde a expulsão dos traficantes do local
Foto: Fabio Motta / Agência Estado
 

Cinquenta e três militares - 30 do Exército e 23 da PM - que atuavam na pacificação do Complexo do Alemão foram afastados do trabalho por conta de denúncia. Após receber a informação de um soldado do Exército de que um militar da equipe teria furtado aparelho de ar-condicionado de uma casa em obras, o comandante da Força de Paz na região, general Fernando Sardemberg, afastou imediatamente o grupo que estava de serviço.

De acordo com a denúncia, o crime teria sido praticado no dia 5 por um tenente da Brigada Paraquedista, que comandava tropa de mais 30 militares. Ele teria furtado o eletrodoméstico na Fazendinha. O local está emprestado para a associação de moradores.

De acordo com relações-públicas da Força, major Luiz Fabiano de Carvalho, o general ainda enviou ofício ao comando da PM, pedindo também o afastamento dos 23 policiais militares que estavam de plantão no local naquele dia. Os PMs foram retirados do serviço de rua e colocados à disposição da Diretoria Geral de Pessoal (DGP) até o fim da investigação que está sendo feita pelo Exército. A PM aguarda o resultado da apuração. Caso as informações não sejam confirmadas, os PMs retornarão aos batalhões de origem.

Ainda segundo o major Fabiano, a investigação será concluída em até 10 dias. Caso sejam confirmados indícios de crime, será aberto um inquérito policial militar, que terá 40 dias para levantar as informações e investigar o caso.

No próximo boletim da PM, serão publicadas as mudanças nas equipes que formam o Batalhão de Campanha. Seguindo os modelos das UPPs, as tropas serão formadas apenas por soldados, supervisionados por oficiais. De acordo com a corporação, a mudança já estava prevista e não tem a ver com o caso.

A Corregedoria da PM investiga 55 denúncias contra agentes de pacificação. Há ainda três averiguações sumárias, em que se checam informações, e 45 investigações sigilosas, para levantamento de dados.

Violência no Rio
O Complexo do Alemão está ocupado pelas forças de segurança desde o dia 28 de novembro de 2010. A tomada do local aconteceu praticamente sem resistência numa ação conjunta da Polícia Militar, Civil, Federal e Forças Armadas. A polícia investiga uma possível fuga de traficantes pela tubulação de esgoto do Alemão antes dos policiais subirem o morro. Em 25 de novembro, a polícia assumiu o comando da Vila Cruzeiro, na Penha. Ambos dominados, até então, pela facção criminosa Comando Vermelho. As ações foram uma resposta do Estado a uma série de ataques, que começou na tarde do dia 21 de novembro. Em uma semana, pelo menos 39 pessoas morreram e mais de 180 veículos foram incendiados por criminosos nas ruas do Rio de Janeiro.

O Dia