0

Polícia prende suspeitos de assassinar líder petista no RN

4 jul 2011
16h44
atualizado às 17h09
  • separator

Cinco homens acusados de integrar um grupo de matadores de aluguel foram presos na sexta-feira no Rio Grande do Norte. De acordo com a Polícia Civil, que participou da Operação Matadores de Aluguel junto com a Polícia Federal, três deles teriam assassinado o presidente municipal do PT de Serra do Mel, a 213 km de Natal, no último dia 15. As prisões foram divulgadas nesta segunda-feira.

Ednaldo Figueira, 36 anos, foi morto a tiros no dia 15 de junho deste ano, quando conversava com moradores em frente ao imóvel onde mantinha um comércio e onde também funcionava o Jornal Serrano, fundado e gerido por ele. Três criminosos chegaram em motocicletas por volta das 22h e dispararam várias vezes contra Ednaldo, que morreu no local.

A polícia suspeita que o crime contra Ednaldo tenha sido feito por encomenda e motivado pela atividade jornalística que o político exercia na região de Serra do Mel. Além do jornal, o político mantinha um blog, em que criticava adversários políticos. Segundo a polícia, a conduta jornalística da vítima estaria contrariando interesses de determinadas pessoas.

Foram presos Rafanio Brito de Azevedo, 30 anos, o Alemão, considerado o agenciador e intermediário entre os mandantes e os executores; Abnadabe Nunes Ismael Pereira da Silva, 31 anos, o Foguinho, um dos executores do crime; Fábio Ferreira da Silva, 23 anos, o Galego, que também atuou como um dos executores; Paulo Ricardo da Costa, 24 anos, o Paulinho, que formou o trio que executou Ednaldo; e Marcelio de Sousa Moura, 29 anos, acusado de prestar apoio logístico ao bando e guardar as armas. Três deles foram presos em Natal, um na cidade de Mossoró e outro em Serra do Mel.

Além das prisões, foram apreendidas oito armas, sendo quatro espingardas calibre 12 e quatro revólveres calibre 38. Também foram apreendidas uma grande quantidade de munições intactas de calibres 12 e 38. A operação conjunta foi batizada de Matadores de Aluguel porque alguns integrantes do bando lidam com execuções a mando de terceiros. Existem indícios de que os presos tenham matado inúmeras pessoas no Rio Grande do Norte nos últimos tempos.

Segundo a polícia, mais três pessoas seriam executadas pela quadrilha nos próximos dias, todas residentes na Grande Natal. As investigações devem continuar para identificar o mandante dos assassinatos, bem como para encontrar mais provas sobre sua motivação. Segundo a SSP, além dos cinco suspeitos presos, outros dois devem ser detidos nesta semana.

Veja também:

Ministro da Saúde alerta para aumento de casos da covid-19 no interior do Brasil
Fonte: Terra
publicidade