Polícia

publicidade
08 de dezembro de 2011 • 20h57 • atualizado às 21h04

Polícia faz maior apreensão de armas do ano no Paraná

Entre as armas de grosso calibre, havia 4 fuzis, 4 metralhadoras, uma escopeta e várias pistolas
Foto: SSP-PR / Divulgação

Roger Pereira
Direto de Curitiba

A Polícia Civil do Paraná apreendeu nesta quinta-feira 19 armas de grosso calibre, entre fuzis e metralhadoras, em Curitiba. Esta foi a maior apreensão de armas no Estado em todo o ano. Além das apreensões, três pessoas foram detidas: Marcos Portela, 31 anos, e os irmãos, Márcio Antônio Kubik, 35 anos, e Fernando Kubik, 28 anos, suspeitos de porte e venda ilegal de armas de fogo, tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.

Segundo a polícia, as investigações começaram após denúncias anônimas de venda de armas para traficantes e ladrões de bancos. Na residência de Marcos, foram apreendidos R$ 3,5 mil, uma pistola 9 mm, e uma caixa de munições para a pistola. Com Fernando, foram encontradas duas pistolas, uma calibre 9 mm e outra 380, e mais R$ 2,2 mil.

Na casa de Márcio estava a maior parte das armas. Lá a polícia encontrou quatro fuzis - um AK-47, duas AR-15 M4 e um Fal 762 -, quatro metralhadoras, uma escopeta calibre 12, uma carabina calibre 9 mm, uma espingarda Gama, dois revólveres e três pistolas de calibre variado. Mais três pistolas foram apreendidas, mas a polícia investiga a quem elas pertenceriam.

Além disso, com Márcio também foram apreendidos mais três coletes balísticos, uma touca ninja, radiocomunicadores com frequência da polícia, lunetas, silenciadores, uma balança de precisão e 1,5 mil cartuchos de calibres variados. No local, havia ainda 30 kg de maconha, 29 kg de crack, 1,5 kg de cocaína e 2,8 kg de haxixe, moedas e diversas notas de dinheiro falso. Um Kia Soul, um Cross Fox, um Golf, uma EcoSport, um Chevette e duas motos também foram apreendidos.

O delegado da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba, Rodrigo Brown, afirmou que as investigações seguem com o intuito de descobrir para quem eram vendidas as armas. "Temos informações que três fuzis já foram vendidos por cerca de R$ 30 mil cada", disse.

Especial para Terra