1 evento ao vivo

PF: ex-comandante de UPP recebia R$ 15 mil por semana do tráfico

16 fev 2012
15h32
atualizado às 15h43
Giuliander Carpes
Direto do Rio de Janeiro

O ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro de São Carlos Adjaldo Luiz Piedade, que foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Federal, chegava a receber R$ 15 mil por semana para facilitar o tráfico de drogas no local. A informação é do delegado João Caetano de Araújo, que chefiou a Operação Boca Aberta e ficou surpreso com a relação promíscua do capitão da Polícia Militar com o traficante Peixe, que também era chefe do tráfico da Rocinha e foi preso no último dia 9 de novembro.

"Temos provas cabais e irrefutáveis do envolvimento do capitão com o tráfico", garantiu o delegado, que não quis informar que provas são essas e como elas foram conseguidas. "O traficante chegava ao ponto de sugerir para qual batalhão o capitão deveria mudar depois de perder o comando da UPP, em novembro. Havia policiais que queriam combater o tráfico e eram impedidos pelo capitão, que tinha uma relação de amizade com o traficante."

Junto com o capitão da PM foi preso o soldado Alexandre Duarte, que também tinha envolvimento com o tráfico de drogas na região. A operação ainda prendeu outros nove traficantes e apreendeu 320 Kg de maconha, 107 frascos de lança-perfume, uma balança de precisão e material para embalar a droga. Outros oito envolvidos com o tráfico estão foragidos. A investigação demorou 10 meses e teve o apoio da polícia de choque, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e dos grupamentos aéreos da Polícia Militar e da Polícia Civil.

A ocupação do Morro de São Carlos ocorreu em fevereiro do ano passado. Três meses depois foi implantada uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), que não foi capaz de coibir o tráfico de drogas na região. Foi para lá, e para o Morro 18, que foram a maior parte dos traficantes foragidos da Rocinha após a ocupação policial de novembro.

Fonte: Terra
publicidade