Polícia

publicidade
04 de fevereiro de 2009 • 08h00 • atualizado às 20h51

Operação deixa 10 mortos e prende 4 em favelas do Rio

Policiais civis realizam operação em favela da zona oeste do Rio de Janeiro
Foto: Anderson Ramos / Terra
 

A operação da Polícia Civil nesta manhã nas favelas Coréia, Taquaral, Rebu e Vila Aliança, zona oeste do Rio de Janeiro, deixou dez mortos e quatro suspeitos presos, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Mais de 300 homens, com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), três carros blindados, os caveirões, e um helicóptero, participaram da ação, que iniciou por volta das 7h40.

A Secretaria Estadual de Saúde chegou a confirmar 12 mortos, mas corrigiu a informação mais tarde. As vítimas fatais são: Tiago Luiz Bonassio Martins, 23 anos, Wellington Broxini Lira, 24 anos, Rogério da Costa Vieira, 37 anos, Tiago Santos Gomes, 21 anos, Leandro Lopes Rosa, 23 anos, Felipe Silva, 18 anos, Diego Muniz Gomes, 24 anos, Josué de Souza, 16 anos, além de um adolescente de 15 anos e um homem de 20 anos, que não foi identificado.

Operação em favelas do Rio deixa pelo menos 10 mortosClique no link para iniciar o vídeo
Operação em favelas do Rio deixa pelo menos 10 mortos

Segundo a Secretaria de Saúde, Ana Maria Souza, 43 anos, foi atingida no glúteo por uma bala perdida, passou por exame de raio X e não corre risco de vida.

Alguns presos foram capturados em um posto de saúde na localidade do Jabor. A polícia removeu algumas barreiras, inclusive alguns brinquedos, que estariam impedindo a operação dos agentes.

Cerca de 10 escolas e quatro creches da área suspenderam as aulas e enviaram as crianças para casa com receio do tiroteio. Parte do comércio ficou com as portas fechadas. Algumas casas e lojas na estrada do Taquaral foram revistadas por policiais, que receberam a informação que criminosos estariam escondidos no local.

Os policiais de várias delegacias especializadas chegaram ao morro da Coréia por volta das 6h45m. Em seguida, a operação foi estendida para a favela de Vila Aliança.

Os agentes começaram a revistar casas onde traficantes poderiam estar escondidos e em uma delas dois suspeitos foram detidos. Eles tinham radiotransmissores que, provalmente, seriam usados no contato entre os traficantes.

Em um galpão, a polícia encontrou muletas que seriam utilizadas por um dos gerentes do tráfico que fugiu do local com a chegada dos policiais. Ele teria sido ferido em outra ocasião. Nos fundos do galpão, a polícia encontrou uma saída de emergência.

Em outra casa havia cinco suspeitos escondidos. Com a chegada dos policiais, houve troca de tiros e os cinco foram mortos no confronto dentro da casa. Um outro criminoso teria sido morto em outro ponto da operação.

Outros três suspeitos foram presos em um posto de saúde, onde tentaram se esconder, sem confronto com os agentes. O quarto homem preso tinha um mandado de prisão expedido. Foram apreendidas nove pistolas e dez granadas.

A operação, que teve como objetivo combater o tráfico de drogas e realizar prisões, procurava pelos supostos líderes do tráfico na região, conhecidos como Tola e Aranha.

Com informações de Anderson Ramos e do O DIA Online

Terra Terra