0

MPF vai apurar caso do bolão da Mega-Sena em Novo Hamburgo

2 mar 2010
15h46
atualizado às 16h11

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar o caso do bolão da Mega-Sena em Novo Hamburgo (RS). O procurador da República Ângelo Roberto Ilha da Silva expediu ofícios para requisitar informações do inquérito sobre o caso aberto na 2ª Delegacia de Polícia Civil do município e também para apurar se houve irregularidades por parte da Caixa Econômica Federal e da lotérica.

A Polícia Civil de Novo Hamburgo investiga se houve estelionato na venda de um bolão da Mega-Sena na lotérica. Apostadores registraram ocorrência afirmando ter acertado as seis dezenas premiadas no concurso que, segundo a Caixa Econômica Federal, não teve vencedores. O prêmio ficou acumulado em R$ 61 milhões.

O MPF quer saber se a CEF fiscaliza a organização de bolões por parte das lotéricas. A Caixa tem até o fim-de-semana para se manifestar.

De acordo com o delegado Clóvis Nei da Silva, da 2ª Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo, o bolão custava R$ 11, tinha 40 cotas e 15 jogos. Os apostadores receberam um papel impresso com os números supostamente apostados pela lotérica Esquina da Sorte, sem cópia xerográfica do comprovante de aposta. Em um desses jogos, constavam os números premiados (20 - 28 - 40 - 41 - 51 - 58).

A funcionária da lotérica Diane Samar da Silva, 21 anos, afirmou que se equivocou e não registrou os números apostados pelo grupo, para que a Caixa computasse entre os apostadores.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade