9 eventos ao vivo

Membro do Vaticano apóia excomunhão após aborto em PE

6 mar 2009
14h19
atualizado às 14h30

O chefe do departamento do Conselho Pontifício para a Família do Vaticano, Gianfranco Grieco, apoiou a decisão do arcebispo de Olinda e Recife, d. José Cardoso Sobrinho, que excomungou os envolvidos na interrupção da gravidez de uma menina de 9 anos, supostamente estuprada pelo padrasto. Em entrevista ao jornal Corriere Della Sera, ele afirmou que o caso é muito delicado, mas que a Igreja não pode trair o princípio de defender a vida desde o seu início até o seu fim.

O aborto foi feito na última quarta-feira, mesmo após a polêmica criada pela posição contrária da Igreja. A menina de 9 anos esperava gêmeos e estava internada no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), no bairro da Encruzilhada, no Recife, de onde recebeu alta na manhã desta sexta-feira.

Segundo declarações do arcebispo d. José Cardoso Sobrinho, todos os que estão envolvidos no procedimento que interrompeu a gravidez da garota estão excomungados da Igreja Católica. Para o ginecologista e obstetra, Sérgio Cabral, no entanto, a menina corria risco de vida caso a gestação prosseguisse.

A interrupção da gravidez foi induzida por medicamentos. No mesmo dia à tarde, a menina, que tem 33 kg e 1,36 m, passou por uma curetagem para retirada do material placentário da cavidade uterina. O padrasto da menina, José Amâncio, um desempregado de 23 anos, foi preso e encaminhado no dia 27 de fevereiro ao Presídio Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no agreste de Pernambuco.

Fonte: Terra
publicidade