0

Médicos suspeitam de morte cerebral de menino que bebeu vodca

5 nov 2010
11h30

A equipe médica do Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, iniciou nesta quinta-feira o procedimento que deve apontar a possível morte encefálica do garoto de 7 anos que se encontra em estado gravíssimo desde domingo. Ele foi obrigado a beber quase 1 l de vodca em uma festa que reunia cerca de 30 adolescentes em Itatiaiuçu, em Minas Gerais.

O padrasto do menor, responsável por ele no dia do incidente, foi ouvido na quarta-feira pelo delegado Marco Antonio Noronha. Em depoimento, ele disse que o menino estava acompanhado de três rapazes que teriam bebido vodca durante a madrugada de sábado para domingo.

Segundo o relato, o padrasto do menino saiu para trabalhar na manhã seguinte, e os jovens deixaram o local para irem a uma lagoa. A criança teria ficado sozinha no sítio, encontrado a garrafa sobre a mesa e ingerido toda a bebida. No entanto, o boletim de ocorrência (BO) registrado na Polícia Civil relata que os adolescentes obrigaram o garoto a ingerir a bebida e a festa foi realizada sem a presença de nenhum adulto.

Ainda de acordo com as informações do BO, os próprios jovens levaram a criança até a casa da avó, em Belo Horizonte, de onde ele foi encaminhado ao hospital. O padrasto da vítima deve responder por abandono de incapaz e, caso a morte encefálica da criança seja confirmada, poderá ser indiciado por homicídio culposo.

Segundo a assessoria da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), a morte encefálica só poderá ser confirmada após a realização de uma série de exames.

Fonte: O Dia

compartilhe

publicidade