publicidade
29 de abril de 2013 • 21h29 • atualizado às 22h29

'Maníaco da Cruz' é preso no Paraguai após fugir da prisão

O 'maníaco' foi preso em 2008 depois de matar três pessoas, mas fugiu em março deste ano da unidade onde cumpria pena

  • Direto de Campo Grande
 

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul confirmou nesta segunda-feira a prisão de Dhionatan Celestrino, 21 anos, conhecido como “Maníaco da Cruz”. Segundo a polícia, ele foi capturado na cidade paraguaia de Horqueta. Ele foi identificado no sábado e hoje à tarde foi extraditado para o Brasil. Celestrino está em Ponta Porã, município onde ficou internado em uma Unidade Educacional de Internação (Unei) em 2008. 

O “maníaco” foi preso em 2008 após matar três pessoas em Rio Brilhante, interior de Mato Grosso do Sul e fugiu da Unei Mitaí, em Ponta Porã, no dia 3 de março deste ano.

Ele deverá voltar para uma cela da mesma unidade de internação e permanecer ali até que o governo do Estado defina seu destino. Dhionatan completou 18 anos de idade em uma Unei e, como é considerado inapto para retornar ao convívio social, não foi reintegrado e permaneceu internado mesmo após completar três anos de internação, o que é legalmente permitido conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente. 

A Justiça determinou que o rapaz permaneça na unidade de internação até que o governo do Estado encontre um local adequado onde ele pudesse passar por tratamento psiquiátrico. A decisão é de abril de 2012, mas até a data da fuga não havia sido cumprida. O governo alega que não há locais em Mato Grosso do Sul onde o jovem poderia ficar internado.
 
Crimes
O rapaz escolhia suas vítimas ao acaso e decidia se iria matá-las ou não após fazer algumas perguntas sobre a vida religiosa e sexual. Após essa “verificação”, Dhionatan decidia se as vítima eram “puras” ou impuras”. Uma jovem que chegou a ser abordada pelo rapaz em 2008 conseguiu livrar-se dele confirmando que era virgem.

Em julho de 2008, o pedreiro Catalino Cardena, 33 anos, morreu com uma perfuração no peito. Ele foi encontrado em um matagal com a inscrição INRI em seu peito. 

Um mês depois, uma nova vítima, a frentista Letícia das Neves, 22 anos, foi encontrada em posição de cruz em cima de um túmulo, no cemitério de Rio Brilhante. Ela foi estrangulada. 
Em setembro, uma jovem de 17 anos conseguiu livrar-se do maníaco, mas em outubro, a adolescente de 13 anos, Gleice Kelly da Silva foi a terceira vítima. Ela também foi estrangulada.

Especial para Terra