0

Madrasta de menina atendida por falso médico é vaiada em velório

15 ago 2010
17h06
atualizado às 18h03

Vanessa Maia, madrasta da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, 5 anos, que morreu após passar supostamente em um falso médico, gerou confusão ao chegar no velório da criança. Policiais tentaram controlar parentes e amigos da família da menina, supostamente vítima de maus-tratos e que teria sido atendida no Hospital RioMar, na Barra da Tijuca, pelo estudante de medicina Alex Sandro da Cunha Souza. Vanessa deixou o cemitério Jardim de Mesquita, em Mesquita (RJ), sob vaias e gritos de justiça. O corpo da menina foi enterrado por volta das 16h.

O principal alvo das críticas da família da mãe da menina, a médica Cristiane Marcenal, é contra o pai, o técnico judiciário André Marins. "O médico deve pagar pelo crime dele, mas nós queremos explicação porque a Joanna já chegou ao hospital com ferimentos graves. A Justiça deve achar o culpado pelos ferimentos", disse a tia de Joana, Luciene Marcenal.

Entenda o caso
Joanna morreu no início da tarde de sexta-feira no Hospital Amiu, em Botafogo, na zona sul, onde estava internada em coma desde o dia 19 de julho. Segundo o hospital, a menina sofreu uma parada cardíaca.

A menina foi internada no CTI do hospital da zona sul com um edema cerebral, hematomas nas pernas e sinais de queimaduras nas nádegas e no tórax, segundo parentes. A suspeita era que ela teria sido espancada e torturada pelo pai. O caso foi levado para a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav).

Na investigação, a polícia descobriu que a menina havia sido atendida em outro hospital, o Rio Mar, na zona oeste, onde um falso médico teria dado alta a ela quando ainda estava desacordada. Ele foi identificado como um estudante do 5º período de Medicina.

Em depoimento, o estudante afirmou que havia sido contratado por Sarita Pereira, que teria uma clínica que prestava serviços ao Rio Mar. Ainda segundo a polícia, Souza afirmou que a mulher forneceu a documentação e o carimbo com nome e a inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM) de um médico para que ele usasse nos atendimentos.

Jornal do Brasil Jornal do Brasil

compartilhe

publicidade
publicidade