5 eventos ao vivo

Líder da Rocinha apontado como 'braço direito' de Nem é morto

26 mar 2012
19h35
atualizado às 19h41
Cirilo Junior
Direto do Rio de Janeiro

Apesar de ocupada pela polícia, a violência na favela da Rocinha não dá sinais de arrefecimento. A polícia confirmou nesta segunda-feira a morte do líder comunitário Vanderlan Barros de Oliveira, conhecido como Feijão. Ele foi assassinado com tiros nas costas nesta tarde, próximo à sede da associação de moradores do bairro Barcelos.

A partir de denúncias, a polícia localizou Danúbia de Souza Rangel, 27 anos, namorada do traficante Nem
A partir de denúncias, a polícia localizou Danúbia de Souza Rangel, 27 anos, namorada do traficante Nem
Foto: MB / Reprodução / Futura Press

A perícia esteve no local, e ainda não há informações precisas sobre as circunstâncias do crime.

Feijão era apontado pela polícia como o braço-direito do traficante Nem, que chefiava o tráfico da Rocinha e foi preso no final do ano passado, pouco antes da ocupação da comunidade. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por associação ao tráfico, acusado de ser o responsável pelas finanças do crime organizado.

O crime aumenta o temor de moradores da Rocinha a respeito do retorno de traficantes à comunidade. São crescentes as informações de que muitos traficantes já circulam pela comunidade e de que membros de outras facções estão na favela, o que poderia detonar uma nova guerra pelo controle da Rocinha.

A Polícia Militar nega os boatos, mas anunciou, na semana passada, o aumento do efetivo na favela. Mais 130 PMs recém-formados vão patrulhar as ruas da favela. Segundo a polícia, a medida faz parte da estratégia para a futura implementação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Fonte: Terra
publicidade