6 eventos ao vivo

Jornal: Dilma 'rebaixa' general de Lula para cargo administrativo

13 ago 2012
09h39
atualizado às 09h45
  • separator

Depois de ter irritado a presidente Dilma Rousseff e o comandante do Exército, general Enzo Peri, por ter confraternizado com os grevistas da Polícia Militar da Bahia, o general de Divisão Marco Edson Gonçalves Dias deixa, na próxima sexta-feira, o comando da 6ª Região Militar. O até então "general do Lula", como muitos o chamavam, foi exonerado e nomeado para ocupar o cargo de diretor de Civis, Inativos, Pensionistas e Assistência Social do Exército. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os PMs estão paralisados desde terça-feira
Os PMs estão paralisados desde terça-feira
Foto: Lúcio Távora / Agência A Tarde

De acordo com o jornal, a designação desconcertou o general, que acabou se tornando uma das vítimas do novo estilo de governar de Dilma. Embora a decisão tenha sido tomada diretamente pelo comandante do Exército, ele não deixou de consultar seus superiores. Dias já sabia que seu comando estava combalido, desde fevereiro, quando foi repreendido por ter aparecido, em rede nacional, dizendo aos grevistas que iria negociar com os amotinados e assegurado a eles que nada aconteceria. A conduta desagradou o Exército e o Planalto. Mesmo tendo sido tão próximo ao ex-presidente, não havia o que fazer. A decisão de ele ir para o cargo administrativo do Exército já havia sido tomada. O general deverá permanecer por lá por pouco mais de um ano, quando deverá ser transferido para a reserva.

Veja também:

De olho na nova geração - Dudu Barrichello
Fonte: Terra
publicidade