Polícia

publicidade
11 de agosto de 2009 • 22h51 • atualizado às 22h57

Inquéritos contra a Universal foram arquivados, diz advogado

 

O advogado Artur Lavigne - que defende o bispo Edir Macedo e outros integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus acusados de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro - afirmou nesta terça-feira, em entrevista ao Jornal Nacional, que todos os inquéritos abertos contra o líder religioso foram arquivados.

"Já ouve até casos em que os fatos relatados terminaram no Supremo Tribunal Federal com arquivamento no Supremo Tribunal Federal e um pedido do Ministério Público Federal. A origem disso tudo é desde 1992 quando foi adquirida por alguns fiéis da Igreja Universal a TV Record do Rio de Janeiro. Nessa época, houve um empréstimo no exterior. (...) Desde então essa movimentação financeira que é um assunto recorrente porque são inúmeros os inquéritos no decorrer do tempo desse processo, sempre com a mesma origem, e que terminaram todos em arquivamento", disse o advogado.

A Justiça paulista acatou nesta terça-feira denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP) com base em investigação feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra o bispo Edir Macedo e mais nove integrantes da Igreja Universal.

Segundo o levantamento feito pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, os acusados usariam dinheiro de doações dos fiéis para benefício próprio. A investigação constatou que a movimentação chegaria a R$ 1,4 bilhão por ano em dízimos coletados em 4,5 mil templos em 1,5 mil cidades do País. Só no período de 2003 a 2008, os depósitos para a Igreja Universal do Reino de Deus alcançaram R$ 3,9 bilhões.

O advogado de Edir Macedo também questionou uma suposta divergência nos dados da Receita Federal e do Conselho de Controle Atividades Financeiras (Coafi) que foram apresentados nas acusações.

"Na mesma época em que se refere o Coafi, a Receita Federal estava procedendo uma investigação dentro das empresas envolvidas nessa questão e conclui pela absoluta legalidade dos depósitos e da movimentação financeira", disse.

Imprensa internacional repercute
A abertura de ação contra o líder da Igreja Universal foi destaque nas agências internacionais Reuters e Associated Press. Essa última ressalta que a igreja possui 8 milhões de seguidores em todo o mundo. O Diário de Notícias de Portugal e veículos de comunicação dos Estados Unidos, Argentina e Itália também deram espaço para o assunto.

Terra