Polícia

publicidade
19 de dezembro de 2013 • 13h18

Filha de homem encontrado morto com enteada depõe à polícia em Goiás

Loanne Costa e o padrasto dela, Joaquim Luz, foram encontrados mortos em Pirenópolis (GO)
Foto: Facebook / Reprodução

A Polícia Civil de Pirenópolis (GO), a 125 quilômetros de Goiânia, ouve nesta quinta-feira o depoimento da filha de Joaquim Lourenço da Luz, 47 anos, que foi encontrado morto na última terça-feira com a enteada, Loanne Rodrigues da Silva Costa, 19 anos. A filha de Joaquim, identificada apenas como Diana, de 25 anos, prestava depoimento na delegacia da cidade por volta das 12h30 de hoje.

Antes dela, outras seis pessoas já haviam falado aos investigadores. Uma delas é o irmão de Diana, Marcos, 24 anos. Também foram ouvidos ex-colegas de trabalho de Joaquim, que gerenciava uma pedreira, e vizinhos da família.

Segundo o agente Alessandro Curado um dos policiais que trabalham na investigação do caso, o crime está próximo de ser solucionado. Ele afirmou que, nesta quinta-feira, os investigadores puderam trabalhar melhor na apuração e colher mais depoimentos, já que, nos últimos dias, precisaram dedicar tempo a entrevistas.

"A gente está quase fechando o caso", disse Curado. "Estamos ouvindo todo mundo que teve contato com ele, o pessoal da empresa, o pai da menina", afirmou ele. Segundo o policial, o pai de Loanne ainda não prestou depoimento porque estava muito abalado pela morte da jovem, que era estudante de enfermagem.

A principal hipótese da polícia é de que o crime tenha sido passional e premeditado: Joaquim teria planejado matar a enteada e cometer suicídio. O corpo do padrasto, acorrentado a árvore pelo pé, estava sobre o de Loanne, amarrado a árvore com uma corda, e os dois apresentavam lacerações no tórax provocadas por explosão de dinamite, de acordo com o exame da perícia.

Terra