Polícia

publicidade
05 de março de 2012 • 15h26 • atualizado às 16h53

Ex-jogador do Corinthians é preso suspeito de abusar de menina

Fabinho Fontes jogou pelo Corinthians
Foto: Gazeta Press
 

Um ex-jogador de futebol do Corinthians foi preso na madrugada de segunda-feira acusado de abusar sexualmente de uma menina de 5 anos enquanto viajava em um carro com os próprios pais da criança. De acordo com o delegado Armando Belio, do 27º Distrito Policial, o casal ia de Taboão da Serra para São Paulo e dava uma carona para Fábio Roberto Teixeira Fontes, 37 anos.

Veja os jogadores que estiveram nas páginas policiais

O jogador, conhecido como Fabinho Fontes, voltava de uma partida de futebol e vinha no banco de trás do automóvel com a criança. Segundo o delegado, a mãe foi a primeira a desconfiar do abuso ao ver a menina no colo do suspeito e avisou o marido. Então, ele chamou a filha para ir para o colo da mulher.

Ainda de acordo com o delegado, ao ver a criança se levantar, o pai constatou que o jogador estava com as calças abertas. Nesse momento, o homem teria parado o carro, tirado Fabinho do veículo e o agredido. O suspeito foi resgatado por policiais que passavam pelo local. Ele foi levado para o Hospital Vergueiro e, após, encaminhado para a delegacia.

O delegado afirmou que o jogador não quis dar sua versão à polícia e deve falar só em juízo. Ele foi encaminhado para o 26º DP onde deve aguardar transferência para prisão.

Destaque na Copinha e decepção no Corinthians
Fabinho nasceu no dia 29 de março de 1974 e apareceu para o futebol nas categorias de base do Corinthians. Meia direita de habilidade, visão de jogo e arremates precisos, se tornou um dos principais nomes da equipe júnior alvinegra e foi destaque em duas edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior, de acordo com o site Olheiros.

Os dois grandes desempenhos na Copinha fizeram com que o meia fosse promovido aos profissionais logo após o torneio de 1995. Sob o comando do técnico Eduardo Amorim, fez parte do elenco campeão paulista ainda naquele ano mas com temperamento difícil, não conseguiu se afirmar. Arredio e sempre motivado pela máxima de "não levar desaforo pra casa", passou também a acumular episódios de desentendimentos com colegas e casos de indisciplina.

Nas poucas chances que teve da sua promoção em diante, Fabinho não correspondeu. O meia direita habilidoso e decisivo deu lugar a um jogador lento e dispersivo que acabou fazendo apenas 14 partidas e um gol. No final de 1996, aquele que era considerado um dos maiores talentos do clube acabou deixando o Parque São Jorge pela porta dos fundos.

Terra