publicidade
21 de janeiro de 2013 • 11h17

DF: mulher morre após ser ferida por linha de pipa com cerol

 

Uma mulher de 47 anos morreu no domingo depois de ter sido quase degolada por uma linha de pipa com cerol. O caso ocorreu por volta das 20h na via de ligação entre a QNF e QNL em Taguatinga Norte, no Distrito Federal.

De acordo com a polícia, Zenilda Belo de Souza Silva trafegava na garupa de uma moto pilotada por seu filho quando ele avistou a linha. O jovem conseguiu se abaixar, mas a linha acabou atingindo a mãe. Ela morreu no local. O caso está sendo investigado pela 17ª Delegacia de Polícia. 

Segundo o delegado Daniel Gomes, o fato está sendo tratdo como homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. "Estamos fazendo diligências para identificar quem soltava a pipa com cerol porque isto é crime", ressaltou. Quem tiver informações pode entrar em contato pelos telefones 197 ou (61) 3355 8900 da Polícia Civil. Não é preciso se identificar.

O delegado explica que o 132 do Código Penal considera crime quem expõe risco à vida ou à saúde de outra pessoa. "O ato de soltar pipa com cerol entra nesse crime. É impossível quem faz isso alegar que não tem consciência que pode causar risco", disse.

O artigo 356 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) torna obrigatório o uso de antena no guidom da motocicleta como anteparo para esse tipo de crime apenas para quem usa o veículo como instrumento de trabalho, e não para passeio. "Agora, diante da repetição de casos de acidentes fatais ou gravemente feridas por causa de linhas com cerol, é aconselhável que o motorista use. É um aparato que dá tempo de reação. Seguramente os casos diminuíram ou as consequências seriam menos grave", alertou Gomes. 

 

Terra