0

Comandante: PMs que mataram homem agiram corretamente no Rio

21 nov 2009
12h57

O comandante do Batalhão de Polícia Militar do Leblon, Sérgio Alexandre Rodrigues, afirmou em entrevista ao RJ TV que a opção dos policias de atirarem em um homem na sexta-feira, na praia do Arpoador, no Rio de Janeiro, foi correta. "Cabe a cada policial avaliar a situação e optar pelo uso de determinado armamento", disse.

Segundo o comandante, a vítima reagiu durante toda a abordagem e não houve outra opção senão atirar pela terceira vez. Identificado como João Maria Ferreira, 25 anos, ele tinha um mandado de prisão expedido pela Justiça do Paraná, por roubo. O corpo do homem ainda estava no Instituto Médico Legal (IML) na manhã deste sábado. Segundo informações, ninguém apareceu para retirá-lo.

De acordo com a PM, ontem, por volta das 15h, policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 23º Batalha de Polícia Militar (Leblon) que passavam pela orla do Arpoador foram acionados por um grupo que denunciava um rapaz, armado com um canivete, que atacaria banhistas na areia. Ainda segundo a PM, o homem, que aparentava estar transtornado, vinha agindo desde o Posto 10, em Ipanema, e já estava sendo acompanhado por bombeiros, que não conseguiam detê-lo. O Corpo de Bombeiros negou a informação.

Um cabo e um soldado foram ao local e deram voz de prisão. Segundo o relações públicas da PM, capitão Ivan Blaz, o homem, com um estilete, reagiu. Um dos policiais teria disparado contra a perna do acusado, que mesmo assim teria continuado avançando. Em seguida, o agente disparou contra o pescoço, mas o homem teria continuado o ataque.

O rapaz foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, onde morreu.

O Dia O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.

compartilhe

publicidade
publicidade