0

Colírio queima olhos de recém-nascido em hospital de SP

15 out 2011
08h19
atualizado às 08h24

Um recém-nascido teve os olhos queimados após a aplicação de um colírio no Hospital Público Municipal, no centro de São Paulo. Segundo familiares do bebê, além de o colírio ter sido aplicado em excesso logo após o parto, na quarta-feira, a medicação estava errada, pois tinha concentração acima da recomendada. Os pais da criança disseram que o hospital informou que foi usado um medicamento à base de nitrato de prata, tipo de colírio que previne a bactéria causadora da gonorreia e deve ser aplicado em todo recém-nascido, com concentração de 1%. As informações são do jornal Folha de S. Paulo .

O pai da criança, Samuel Alves da Silva, 23 anos, diz que o médico afirmou que houve falha da equipe. "Eu estava na sala acompanhando o parto e presenciei que as enfermeiras se excederam quando colocaram a substância. Uma delas comentou com a outra que tinha colocado demais e tentaram limpar o excesso com uma gaze", conta. No mesmo dia, o bebê foi transferido para o Hospital São Paulo, onde passou por duas cirurgias para lavagem e raspagem dos olhos. De acordo com a oftalmologista Denise de Freitas, o colírio causou uma alteração química nos olhos do bebê, o que pode afetar a visão. A Secretaria Municipal da Saúde informou que afastou todos os profissionais envolvidos no atendimento e que foi criada uma comissão para apurar a responsabilidade do ocorrido. Os pais registraram um boletim de ocorrência no 5º Distrito Policial contra o hospital.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade