0

Chico Bala é preso no ES; Capitão Queiroz se apresenta à PM

26 fev 2010
03h43
atualizado às 05h24
  • separator

Os dias de liberdade de dois milicianos da Zona Oeste do Rio na noite dessa quinta-feira. O ex-PM Francisco César Silva de Oliveira, o Chico Bala, foi preso por policiais da 35ª DP (Campo Grande) em uma mansão de luxo em Guarapari, Espírito Santo, onde tentava uma "vida nova" com a família. Já o capitão reformado Epaminondas de Queiroz Medeiros Júnior se apresentou à Polícia Militar.

Acusado de comandar um dos principais grupos paramilitares de Campo Grande, Chico Bala estava foragido há quase oito meses. O delegado Fábio Barucke e três agentes conseguiram localizá-lo após 15 dias de buscas na cidade. Ele foi capturado durante um churrasco pelo aniversário de 11 anos do filho, na frente de 15 parentes.

Ao perceber que seria preso, o ex-PM correu e se trancou num dos quartos da casa de três andares. Quando se entregou e teve os pés e mãos algemadas na frente da família, o miliciano chorou. "Não sou bandido, sou policial. Poderia estar armado e com seguranças, mas minha família me pediu para não ter nada em casa porque queria ter uma vida nova aqui, não ser reconhecido", disse. "A família é evangélica e tentou consolá-lo, dizendo que era melhor ser preso que morto. Eles disseram que se conseguimos prendê-lo, é porque tinha que ser assim", contou o delegado.

A vida nova a que Chico Bala se referiu era desfrutada na mansão no bairro São Judas Tadeu. O ex-PM levou toda a família para Guarapari: mulher, filhos, pais, irmãos e sobrinhos. Protegida por muro de 4 m de altura, cerca elétrica e câmeras, a casa chama a atenção. Dentro, havia piscina gigante, TV de LCD de 96 polegadas e uma picape Cherokee blindada, apreendida na garagem, assim como um computador.

Um dos caminhos para descobrir o esconderijo foi a descoberta do hospital onde seu pai está internado, depois de sofrer um derrame. No entanto, o ex-PM registrou endereço errado na unidade. "Checamos várias informações até descobrirmos o aniversário do filho dele", contou Barucke.

Quatro policiais, então, ficaram na porta da casa, dentro de um carro. "Depois de um tempo, vizinhos desconfiaram e chamaram a PM. Tive que me apresentar e explicar a situação para não chamar a atenção", relembrou o delegado.

Doze policiais de Guarapari, Vila Velha e Vitória ajudaram na prisão. Chico Bala foi levado à noite para Vitória e deve chegar ao Rio nesta sexta-feira.

Investigado pela Draco e Polícia Federal
Apontado como um dos líderes da milícia em Rio das Pedras, o capitão Queiroz tinha mandado de prisão pedido pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas e Inquéritos Especiais (Draco-IE). Na noite de quinta-feira, ele se entregou no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica. Como não cumpre mandado de prisão, a unidade o levou à 21ª DP (Bonsucesso).

O oficial foi indiciado ainda pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro depois de ser revelado o enriquecimento de integrantes da milícia de Rio das Pedras, onde o PM é dono de lotéricas e cartório. Ele chegou a se candidatar a vereador, mas desistiu da disputa após denúncias sobre seu envolvimento com a milícia.

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Fonte: O Dia
publicidade