7 eventos ao vivo

Caso maranhense lembra crimes cometidos por Fritzl na Áustria

9 jun 2010
17h14
atualizado às 18h09

O caso do agricultor José Agostinho Bispo Pereira, 54 anos, acusado de abusar sexualmente da filha durante 17 anos, com que teve sete filhos, em uma ilha do litoral maranhense, é mais um episódio de incesto e pedofilia que lembram os crimes cometidos pelo austríaco Joseph Fritzl, que teve seis filhos com a filha, Elisabeth, que foi mantida sob cárcere em um porão por 24 anos.

Josef Fritzl deixa tribunal após o anúncio de sua sentença
Josef Fritzl deixa tribunal após o anúncio de sua sentença
Foto: AFP

O caso de Fritz teve repercussão internacional, assim como crimes semelhantes na Austrália, Polônia, Chile, Itália e Argentina. O austríaco, condenado à prisão perpétua, mantinha a filha e três de seus filhos-netos em um porão. Os outros três foram adotados por ele e sua mulher (ele simulou abandono das crianças pela verdadeira mãe para justificar a adoção). No caso maranhense, as crianças tinham idades entre 2 e 12 anos. A filha menor, de 2 meses, tinha sido dada em adoção para outra família.

De acordo com a polícia do Maranhão, há indícios de que a maior das filhas-netas, de 7 anos, também sofreu abusos de seu pai-avô e há suspeita que outra menina, de 5 anos, também tenha sido estuprada por Pereira. As seis crianças nunca saíram da ilha, não sabem ler nem escrever e viviam em condições de abandono. Um deles, de 8 anos, é surdo-mudo, provavelmente por problemas de consanguinidade.

Fritzl mantinha a filha em um porão desde os 18 anos idade depois de uma discussão com o pai, em 29 de agosto de 1984. Enquanto esteve presa, ela deu a luz a todas as crianças, supostamente sozinha e sem auxílio médico. Austríaco mantinha segredo sobre a filha, sua mulher e o filho mais velho, além dos inquilinos que alugavam quartos na casa de Fritzl não sabiam o que ocorria no cômodo secreto da casa.

O agricultor maranhense disse è polícia que não sabia que incesto é um crime. Aparentemente, vários habitantes de Pinheiro sabiam do que acontecia na casa de Pereira, mas foi em 21 de maio, quando o Ministério Público, o Conselho Tutelar e a polícia do município organizaram uma manifestação contra os abusos infantis, que ele foi denunciado.

A polícia suspeita que a mulher não tenha sido a única filha estuprada e procura a sua irmã, que também teria ficado grávida de Pereira, mas que fugiu com seu filho da ilha. Acompanhados da mãe, os filhos-netos foram enviados a um albergue para receberem assistência social e psicológica.

Austrália
Em setembro do ano passado, na Austrália, um homem foi preso acusado de estuprar quase que diariamente a própria filha, com quem teve quatro filhos ao longo de 30 anos. O caso australiano teria começado nos anos 70, quando a vítima tinha apenas 11 anos de idade. O pai teria ameaçado agredi-la caso ela revelasse os abusos a que era submetida.

Polônia
A Justiça polonesa condenou Krzysztof Bartoszuk a dez anos de prisão por ter estuprado várias vezes a filha, que foi trancada em casa por mais de cinco anos e teve dois filhos com o pai. O homem, de 47 anos, foi detido em 2008, depois que Alicja, então com 21 anos, denunciou-o com a ajuda da mãe.

Argentina
O argentino Armando Lucero foi acusado de abusar sexualmente de uma de suas filhas durante duas décadas e de ter tido sete filhos com ela. Ele foi considerado "imputável" durante exames psiquiátricos. Ele teve sete filhos com uma de suas filhas.

Chile
Um homem foi preso na cidade de La Colina, em maio de 2009, acusado de abusar sexualmente de sua filha e ter tido quatro filhas com ela. Manuel Jesús Bartierra Jara, 48 anos, foi acusado pela jovem identificada como V.B.L. de ter abusado dela desde os 8 anos de idade. A partir dos 12, ele a teria violentado sistematicamente todas as vezes em que os dois se encontravam sozinhos na casa da família, em Quilicura. Segundo a queixa apresentada à polícia pela jovem, de 26 anos, ela teria engravidado do pai pela primeira vez aos 15 anos de idade, e teria dado à luz a primeira filha dele aos 18. Suas filhas têm 8, 7, 5 e 4 anos de idade.

Itália
A polícia italiana prendeu um homem de 64 anos acusado de abusar sexualmente da filha por 25 anos e encorajar o filho a fazer o mesmo. O caso chocou a Itália e rendeu comparações com o do austríaco. O filho, de 41 anos, também foi preso acusado de abusar não somente da irmã, agora com 34 anos, mas também das quatro filhas, de 6 anos, 8 anos, 12 anos e 20 anos.

Com informações da EFE.

Fonte: Redação Terra
publicidade