1 evento ao vivo

Beltrame cogita processar pesquisador que questionou ISP

28 nov 2011
16h53
atualizado às 16h55
Luís Bulcão
Direto do Rio de Janeiro

O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou nesta segunda-feira que não descarta processar judicialmente o pesquisador Daniel Cerqueira, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Daniel publicou um estudo que coloca em dúvida os dados apresentados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, órgão ligado à Secretaria de Segurança Pública, questionando os números de homicídios contabilizados ao compará-los com dados do Datasus, que também conta o número de mortes para pesquisas de saúde. O estudo fez com que o Anuário de Segurança Pública, encomendado pelo Ministério da Saúde, rebaixasse o grau de confiabilidade das informações passadas pelo Rio de Janeiro de um para três.

"É uma possibilidade (processar o pesquisador judicialmente). O documento fala em escamoteamento das informações, má fé e ocultação. Eu posso dizer que os profissionais que trabalham nessas instituições, IML, ISP e na própria Secretaria de Saúde não estão satisfeitos com essas expressões", afirmou o secretário em entrevista coletiva antes de almoçar com os comandantes da Força de Paz do Complexo do Alemão.

De acordo com Beltrame, não existe tentativa de ocultar dados. A Secretaria de Segurança afirma que os dados do ISP em relação aos homicídios são mais detalhados e atualizados do que as estatísticas da pasta da saúde. "Todo homicídio que temos no Rio de Janeiro é computado e caracterizado pelo ISP. Tenho o maior respeito pelo Datasus e pelos pesquisadores que lá estão. O que não podemos é misturar uma coisa com a outra. As pesquisas do Datasus têm o objetivo de ver epidemias. A segurança pública tem um estudo muito criterioso naquele delito que é o mais importante para nós, que é o crime contra a vida. É um dado que influencia, inclusive, no Índice de Desenvolvimento Humano", disse.

Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade