2 eventos ao vivo

Batman é condenado a 12 anos por liderar milícia no Rio

9 set 2010
20h13
atualizado às 20h17

O ex-PM Ricardo Teixeira Cruz, conhecido como Batman, foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a mais 12 anos de prisão em regime fechado por formação de quadrilha, nesta quinta-feira. Ele é apontado como líder da milícia Liga da Justiça, que atuava a zona oeste da cidade. Outras oito pessoas que respondiam ao mesmo processo foram inocentadas por falta de provas.

Miliciano sorri algemado ao ser apresentado na sede da Polícia Civil
Miliciano sorri algemado ao ser apresentado na sede da Polícia Civil
Foto: Carlos Moraes / O Dia

Batman havia fugido da prisão, em outubro de 2008, onde cumpria pena de 9 anos e 8 meses. Ele reassumiu o comando do bando, mas foi preso novamente em maio de 2009. De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, no período em que esteve foragido, o ex-PM assumiu a liderança do grupo, estabelecendo objetivos e determinando a maneira de atingi-los.

Na sentença proferida pela juíza da 42ª Vara Criminal do Rio, Alessandra Bilac, a magistrada afirma que a ousadia do grupo era grande, a ponto de Batman afirmar, em vídeo divulgado na internet, que tomaria de volta tudo o que era dele e que possuía vasto armamento, "tomado" de traficantes.

"O conteúdo da referida entrevista comprova que Ricardo Teixeira Cruz, vulgo Batman, não só integra, como lidera a Liga da Justiça. A prova testemunhal também não deixa dúvida acerca da posição de destaque exercida pelo acusado no grupo criminoso descrito na denúncia e a sua associação à quadrilha após a fuga de Bangu 8", afirmou na sentença.

Ainda segundo a magistrada, "o acusado, de acordo com o teor das interceptações telefônicas, apresenta total desprezo pela vida humana, mata e dá ordens de execução sem qualquer pudor".

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade