PUBLICIDADE

Após PM confundir arma com bíblia e matar lixeiro, irmão pede justiça

27 dez 2012 22h48
| atualizado às 22h49
ver comentários
Publicidade

A família do servidor público Antônio Marcos dos Santos, 42 anos, que foi morto por um policial militar em Avaré (SP), após ter sua bíblia confundida com uma arma durante uma abordagem, está revoltada. José Valdecir Corrêa, irmão do lixeiro, pede que providências sejam tomadas. "Queremos que o responsável pela morte do meu irmão pague pelo que fez. Nós queremos justiça", disse o familiar.

Antônio Marcos dos Santos foi baleado no pescoço, na noite de quarta-feira, por um cabo da Polícia Militar. O PM teria confundido a bíblia que o lixeiro levava no bolso com uma arma. O irmão da vítima ressaltou que o lixeiro era trabalhador. "Meu irmão nunca fez nada de errado. Saía para o trabalho, todos os dias, às 4h30 e voltava na hora do almoço. Sempre que dava, ele ia à igreja", explicou durante o velório, nesta quinta-feira.

Segundo o major Maurício José Raimundo, do Batalhão de Polícia em Avaré, o cabo responsável pelo disparo não tinha histórico negativo. "Ele é considerado um bom profissional e não tem histórico de violência. Infelizmente, foi uma fatalidade", lamentou o major da PM.

A Polícia Civil está investigando o caso. O policial que fez o disparo foi encaminhado ao presídio militar Romão Gomes, em São Paulo.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade
Publicidade