publicidade
30 de dezembro de 2012 • 13h17 • atualizado em 30 de Dezembro de 2012 às 22h13

Polícia espera prender assaltantes de fábrica ainda neste domingo

Porta de fábrica de joias ficou destruída após o uso de explosivos pelos crimonosos
Foto: AFP
 

A polícia gaúcha espera capturar o bando que fugiu com nove reféns após assaltar  uma fábrica de joias na cidade de Cotiporã, na região serrana do Rio Grande do Sul, ainda neste domingo. Os assaltantes utilizaram explosivos para arrombar o estabelecimento, localizado na região central do município, que tem pouco menos de 4 mil habitantes.

Segundo a polícia, a ação do bando teve início na madrugada. Os criminosos, fortemente armados, renderam um grupo de pessoas que bebia num bar e usaram os reféns como "escudo humano" em frente à fábrica, enquanto explosivos eram utilizados para arrombar cofres que guardavam as joias.

Os bandidos libertaram parte dos reféns e, durante a fuga, entraram em confronto com a polícia. Três criminosos morreram, entre eles, Elisandro Rodrigo Falcão, o assaltante mais procurado do Estado. Dois PMs ficaram feridos, mas não correm risco de vida.

Na fuga, os assaltantes passaram por uma chácara nas proximidades, onde abandonaram um veículo Astra e fizeram outros reféns. Segundo informações preliminares da Polícia Civil, sete pessoas de uma família de agricultores estão em poder dos bandidos, no meio de um matagal. Entre os reféns, estaria uma menina de 11 anos e um homem de 70. A polícia acredita que duas pessoas que foram abordadas no bar, na ação anterior, no início da madrugada, seguem em poder dos bandidos.

"A informação preliminar é que duas pessoas não foram libertadas depois da ação na fábrica e, por isso, trabalhamos com o número de nove reféns", disse o delegado Marcelo Ferrugem, da delegacia da cidade de Veranópolis.

De acordo com a BM, mais de 100 policiais, inclusive de Porto Alegre, foram mobilizados para as buscas. O local é de difícil acesso e cercado por morros, riachos e mata fechada, o que dificulta o trabalho das forças de segurança, que contam ainda com a ajuda de cães farejadores e helicóptero. Policiais da região se reuniram na prefeitura da cidade para acompanhar os trabalhos.

“A nossa expectativa é de que eles serão capturados à noite, porque é o horário em que provavelmente vão se movimentar”, afirmou o delegado, levando em conta as condições do terreno por onde fugiram os bandidos.

A polícia encontrou, após o assalto, várias bolsas com as joias roubadas da fábrica após o roubo, mas ainda não foi possível estimar o que tinha sido levado, uma vez que a ocorrência ainda está em andamento. 

Cotiporã é considerada pacata e de janeiro a novembro de 2012 foram registrados 23 furtos, dois roubos e oito delitos relacionados a armas. A quadrilha que protagonizou o assalto na cidade era conhecida da polícia pelo uso de dinamite para roubos a comércios e bancos no interior do Estado. 

Terra