0

Após estupro, Justiça de Londrina proíbe "pulseiras do sexo"

1 abr 2010
06h51

A Justiça de Londrina (PR) proibiu a venda e o uso das chamadas "pulseiras do sexo" para menores de 18 anos. O enfeite surgiu na Inglaterra e usado em uma espécie de jogo: ao arrebentar o acessório, se recebe uma retribuição da dona da pulseira - se o objeto for roxo, vale beijo de língua; a preta, sexo. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Segundo a reportagem, a decisão foi tomada após a Polícia Civil iniciar a investigação do caso do estupro de uma menina de 13 anos que usava as pulseiras. O jornal afirma que a menina relatou à polícia ter sido violentada por quatro jovens, um deles maior de 18 anos que disse à corporação que foi consensual. Ainda de acordo com a reportagem, há outros seis casos que envolvem o jogo na cidade, mas que não foram registrados na polícia.

Fonte: Redação Terra
publicidade