2 eventos ao vivo

Após abusos, filha de lavrador diz ter reconstruído a vida

13 jun 2010
09h07
atualizado às 09h34
Eveline Cunha
Direto de São Luís

Esta semana uma história chocou o Brasil e o mundo. José Agostinho Bispo Pereira foi preso na última terça-feira em uma ilha no norte do Maranhão, onde vivia com a filha de 29 anos e sete crianças. Ele é acusado de manter relações sexuais com ela e ser pai dos menores. De acordo com o depoimento da vítima, ela sofria abusos frequentes desde os 12 anos. A irmã mais velha dela, 32 anos, diz também ter sofrido nas mãos do pai, mas que conseguiu reconstruir a vida após ter sofrido abusos. Segundo ela, Pereira é o pai do seu filho de 14 anos.

José Agostinho Bispo Pereira, 54 anos, foi preso em Pinheiro, no norte do Maranhão
José Agostinho Bispo Pereira, 54 anos, foi preso em Pinheiro, no norte do Maranhão
Foto: Eveline Cunha / Especial para Terra

Ao contrário da irmã mais nova que foi mantida com os filhos-irmãos em cárcere privado durante pelo menos 16 anos - a filha mais velha fugiu do cativeiro, se libertou da escravidão sexual e hoje se diz feliz, casada e mãe de outros cinco filhos, estes com um marido que a amparou e a respeita "como gente". Ela aceitou conversar com o Terra sobre a tragédia que acompanha sua família há duas décadas, mas que só foi revelada agora.

O seu pai é o pai do seu filho mais velho?
É... (pausa) ele é do meu pai. Eu lhe digo que é do meu pai.

Você ficou grávida dele?
Sim, senhora. Aí depois disso eu tive, quando eu vim com o meu marido ele tinha 1 ano; eu trouxe, quando chegou aqui... eu vim numa noite ele (o pai) veio buscar o menino. Aí eu fiquei com o marido e tenho cinco filhos com ele.

O seu pai era um homem violento?
Não. Ele era muito violento assim... quando ele bebia. Mas depois, quando ele não bebia ele não era assim... ele era daqueles calmos.

Quando ele abusou sexualmente de você, quantos anos você tinha?
Quer dizer... eu boto que... quando eu ajeitei, quando ele abusou... quando eu mesma "coisei" dele e ele de mim, tava na idade de uns 12 a 14 anos.

Você era uma menina?
Era sim senhora... uma inocente. Aí eu vim pra cá e ele ficou "junto" da minha irmã em casa.

Por que você saiu de casa?
Por causa dele.

Estava fugindo dele?
Hum,hum... me saindo... aí quando eu vim ele disse que era pra eu não sair de casa. Aí eu disse "meu pai eu quero procurar a minha família". Justamente agora moro com este marido, tenho esses filhos, tá dentro de onze anos que a gente mora junto e graças a Deus vivo muito feliz.

Você foi alguma vez à escola?
Não senhora.

Você não estudou?
Não senhora.

Seu pai não deixava vocês estudarem?
Ele não tinha interesse. Nós não fomos criadas com mãe. Nossa mãe mora esse tempo em São Luís. Nos abandonou.

Por que sua mãe foi embora?
Por causa que fugiu com outro. Fugiu com outro, deixou nós pequenos como estão esses meus.

Ela tinha medo de seu pai?
Não. Ela não tinha medo. Aí ela fugiu com outro, nos abandonou como um cachorro.

O que você sente em relação a seu pai?
Eu sinto muito... porque eu acho que eles dois (o pai e a irmã) erraram muito. Erraram porque se ela quisesse um marido tem "muito homem, né?" Então ela tinha dito: ora meu pai, eu vou procurar um marido pra mim, vou deixar meu pai só... e se meu pai quer procurar uma mulher pode procurar que eu não importo não... então o meu pai ia procurar uma mulher. Eu acho todos os dois errados.

Você ama seu pai?
Eu? (silêncio) não. Eu não quero mal pra ele. Eu não quero que façam mal pra ele na cadeia.

Fonte: Especial para Terra
publicidade