2 eventos ao vivo

Alckmin empossa delegados e pede mais rigor com jovens infratores

8 ago 2012
13h14
atualizado às 13h25
Hermano Freitas
Direto de São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu no início da tarde desta quarta-feira leis mais rígidas contra crianças e adolescentes infratores. Segundo o governador, é inaceitável que jovens com mais de 20 anos convivam com adolescentes na Fundação Casa. Alckmin reivindicou legislação criminal mais dura ao empossar os 200 novos delegados de polícia.

O soldado trabalhava na 4ª companhia do 1º batalhão da PM
O soldado trabalhava na 4ª companhia do 1º batalhão da PM
Foto: Devanir Amâncio / vc repórter

"Encaminhei ao Congresso, ainda na primeira gestão como governador, um ofício em que pedia pena máxima de oito anos ao invés de três para jovens infratores que praticam crime muito grave", declarou Alckmin. Ele defendeu ainda que os jovens que ultrapassaram 18 anos deveriam ser encaminhados para alas separadas de unidades prisionais. Questionado sobre a saturação do sistema penitenciário, o governador afirmou que o Estado está "ampliando a capacidade".

O evento, que atraiu mais de mil pessoas ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, serviu para que outras autoridades de segurança pública comentassem o atual patamar da criminalidade do Estado. Segundo o titular da pasta, Antônio Ferreira Pinto, o governo ataca o crime liberando mais policiais civis para a investigação ao extinguir delegacias como a de registros gerais.

Confrontado com os recentes casos de violência praticada por policiais militares, minimizou, comparando os casos atuais - como o da morte de um publicitário - com crises passadas. "A Polícia Militar superou a favela Naval e superou o Carandiru", disse. Ferreira Pinto lembrou de torturas e mortes cometidos por policiais militares na década de 1990 em uma comunidade pobre de Diadema, além do massacre que deixou 111 mortos no então maior presídio do País.

Fonte: Terra
publicidade