publicidade
23 de outubro de 2013 • 14h37 • atualizado em 24 de Outubro de 2013 às 07h57

Advogado que defendia traficantes é morto com mais de 30 tiros em MG

Jayme Eulálio de Oliveira, 37 anos, foi morto em Belo Horizonte
Foto: OAB-MG / Divulgação
  • Direto de Belo Horizonte
 

O advogado criminalista Jayme Eulálio de Oliveira, 37 anos, foi morto com mais de 30 na noite de terça-feira, no bairro Castelo, em Belo Horizonte. Oliveira, que atuava defendendo pessoas acusadas de tráfico de drogas, foi abordado quando chegava de carro ao prédio onde morava. A suspeita é de que dois homens encapuzados esperavam por ele em um veículo na porta do edifício.

De acordo com a PM, o advogado foi morto com tiros de fuzil de calibre 556 e de pistola calibre 40, ambas de uso exclusivo do Exército. Familiares de Oliveira afirmaram à PM que ele atuava na defesa de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas, mas ainda não há confirmação de que a execução possa ter sido motivada por desavenças entre a vítima e clientes.

Oliveira tinha um filho de 3 anos. A mulher dele ficou em estado de choque e precisou ser socorrida após passar mal. A Polícia Civil analisa imagens de circuito interno do prédio para conseguir pistas dos suspeitos.

A Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB-MG) pediu a "pronta apuração dos fatos relacionados à execução do advogado".  O órgão enviou um documento ao governador mineiro, Antonio Anastasia, ao secretário de  Defesa Social, Rômulo Ferraz, e ao chefe de Polícia Civil do Estado, Cylton Brandão da Mata.

Especial para Terra