0

Advogado: 'não faço ideia de como Edmundo será levado ao Rio'

16 jun 2011
10h19
atualizado às 11h53

O advogado Arthur Lavigne, que defende o ex-jogador e atual comentarista esportivo Edmundo Alves de Souza Neto, 40 anos, afirmou nesta quinta-feira que ainda não sabe como o "Animal" chegará ao Rio de Janeiro. Edmundo está em São Paulo após ser preso durante a madrugada. "Não faço ideia de como o Edmundo será transferido para o Rio", disse Arthur Lavigne.

Confira os jogadores que estiveram nas páginas policiais

De acordo com o delegado Eduardo Castanheira, da 3ª Delegacia Seccional de São Paulo, onde o ex-jogador está preso, Edmundo deve ser transferido ao Rio de Janeiro ainda hoje. Segundo Castanheira, policiais civis já deixaram o Rio em viaturas e devem chegar à capital paulista por volta das 15h desta quinta-feira.

Edmundo, que estava foragido após ter um mandado de prisão expedido no Rio de Janeiro, foi encontrado e preso em um flat na rua Amauri, zona oeste de São Paulo, após uma denúncia anônima.

Ainda durante a madrugada, o jogador prestou depoimento ao delegado Eduardo Castanheira, que terminou por volta de 4h30, e realizou exames de corpo de delito. Ele será mantido em uma carceragem da delegacia de Pinheiros até a chegada de policiais civis da Polinter, que têm a missão de conduzir o jogador de volta para o Rio de Janeiro.

P>

Três mortes na Lagoa


Na madrugada do dia 2 de dezembro de 1995, quando saía de uma boate na Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro, o então jogador do Flamengo chocou seu Jeep Grand Cherokee com um Fiat Uno. No acidente, morreram Joana Maria Martins Couto, Carlos Frederico Britis Tinoco e Alessandra Cristini Pericier Perrota, que estavam no outro automóvel. Outras três pessoas ficaram feridas - Roberta Rodrigues de Barros Campos, Débora Ferreira da Silva e Natascha Marinho Ketzer. O laudo da perícia apontou que o jogador estava em alta velocidade.

Em março de 1999, Edmundo foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão, em regime semiaberto. O ex-jogador chegou a passar uma noite na cadeia em função dos homicídios culposos de três pessoas e lesões corporais - também culposas - nas outras três vítimas.

A defesa de Edmundo recorreu, mas a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça manteve a decisão no dia 5 de outubro de 1999. Em 2008, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou a oitava tentativa do ex-jogador de anular a condenação e manteve a pena.

Na última terça-feira, o juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, determinou a expedição de mandado de prisão contra Edmundo. Segundo o advogado Arthur Lavigne, que representa Edmundo, o processo está prescrito desde 2007. "Em 2010, o Ministério Público reconheceu a prescrição e tanto a defesa quanto a acusação concordaram. O juiz, que é novo na Vara, entendeu que não havia prescrição. Não sei qual é a fundamentação dele. (...) Estamos todos surpresos, é uma decisão sem cabimento", disse Lavigne. Entretanto, para o juiz, ainda não ocorreu o lapso temporal exigido pela lei para prescrever a condenação, que no caso do ex-jogador é de 12 anos.

Fonte: O Dia
publicidade