0

Achei que ia morrer, diz vítima de atirador de Realengo

1 mai 2011
21h34
atualizado às 21h51

Após quase um mês do ataque que matou 12 jovens na Escola Municipal Tasso de Oliveira, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, o programa Fantástico conversou com Edson, 14 anos, um dos alunos vítimas do atirador Wellington Menezes de Oliveira, 24 anos. Ele apareceu em imagens gravadas pelo circuito interno de segurança do colégio agonizando no corredor após ser baleado. O menino achou que ia morrer.

O coveiro Leandro Silva mostra o túmulo de Wellington no Cemitério São Francisco Xavier, na zona portuária do Rio
O coveiro Leandro Silva mostra o túmulo de Wellington no Cemitério São Francisco Xavier, na zona portuária do Rio
Foto: Rodrigo Teixeira / Especial para Terra

"Parecia que foi tão rápido. Eu pensei que eu ia morrer, pensei que ia morrer", disse Edson, que passou três dias em coma, três semanas internado e perdeu um pouco da audição. "Antes para mim era difícil falar sobre isso, chorava. Mas depois eu superei. Falo como se fosse só palavras. Eu já superei isso e posso falar à vontade. Mas me atrapalhar, não vai mesmo", afirmou ele.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade