0

Pirotecnia em locais fechados causou tragédias em várias partes do mundo

27 jan 2013
16h52

O incêndio que matou pelo menos 231 pessoas em uma casa noturna de Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul, ganhou destaque na imprensa internacional como um dos mais fatais da última década em todo o mundo.

As causas do fogo ainda não foram determinadas, mas relatos indicam que o uso de fogos de artifício no show da banda que se apresentava no local pode ter detonado o incêndio.

Shows de pirotecnia em boates e em casas de show foram responsáveis, nos últimos dos anos, por alguns dos incidentes mais fatais já registrados.

Além do uso de pirotecnia em locais fechados, outros elementos como número limitado de saídas de incêndio e fiscalização inadequada do cumprimento de exigências contribuíram para o elevado número de mortos em algumas dessas tragédias.

Veja a lista elaborada pela BBC Brasil com alguns casos recentes:

2009: Santika Club, Bangcoc, Tailândia

Um incêndio causado por fogos de artifício deixou 66 mortos. A casa noturna funcionava sem a licença adequada e tinha apenas uma saída, o que dificultou que vítimas deixassem o local. Duas pessoas acabaram condenadas, entre elas o proprietário da boate.

2009: Lame Horse Club, Perm, Rússia

Uma explosão durante um show com fogos de artifício deixou 150 mortos. Apenas cerca de um quarto das pessoas presentes no local conseguiu escapar. Muitas das vítimas acabaram morrendo asfixiadas e pisoteadas.

2008: Boate Wuwang, Shenzen, China

O incêndio também começou com show de pirotecnia, e a tragédia foi agravada pela existência de uma única saída, com má iluminação. Quarenta e três pessoas morreram.

2004: República Cromagñón, Buenos Aires, Argentina

O fogo, causado por faísca de sinalizador usado pela banda, matou 194 pessoas. O gerente da discoteca e dois funcionários responsáveis pela fiscalização dos estabelecimentos foram condenados.

2003: The Station, Rhode Island, Estados Unidos

Fogos de artifício usados no show da banda Great White provocaram um incêndio e a morte de cem pessoas. O local foi tomado pelo fogo em menos de cinco minutos.

O empresário da banda, que organizou o show pirotécnico, foi condenado a quatro anos de prisão. Duas saídas de emergência do local não puderam ser usadas. Uma das portas estava com defeito e a outra, obstruída por uma parede de espuma.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
publicidade