0

PF abre inquérito para investigar denúncias de espionagem

8 jul 2013
19h42
atualizado às 19h48
  • separator
  • comentários

A Polícia Federal (PF) abriu um inquérito para investigar as denúncias de que empresas brasileiras tenham fornecido dados às agências de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) e Agência Central de Inteligência (CIA) num esquema de espionagem. A suspeita foi levantada pelo jornal O Globo, depois que documentos obtidos pelo periódico apontam que a NSA utilizou um programa chamado Fairview, em uma parceria com uma grande empresa de telefonia americana, que fornece dados de redes de comunicação ao governo dos Estados Unidos.

Como tem relações comerciais com empresas de diversos países, a empresa oferece também informações sobre usuários de redes de comunicação de outras nações. "Em ofício, o ministro Paulo Bernardo registra preocupação do Ministério das Comunicações com as notícias veiculadas no fim de semana, que dão conta da existência de uma rede de vigilância global que teria entre seus alvos as comunicações eletrônicas e telefônicas originadas ou recebidas do Brasil", afirmou o Ministério da Justiça, em nota.

"O ministro das Comunicações solicita investigações ao considerar que as supostas ações de inteligência, caso confirmadas, poderão 'representar ofensa ao quadro legal brasileiro, em especial ao princípio constitucional da inviolabilidade do sigilo das comunicações'", completou o ministério. 

Paulo Bernardo informou que o governo brasileiro pretende tomar mais atitudes sobre as denúncias.  “No plano institucional, o Itamaraty já acionou a nossa embaixada em Washington, que vai (ainda) hoje pedir explicações ao governo americano e também vamos acionar a ONU (Organização das Nações Unidas) e outros organismos internacionais, pois achamos que esse problema deve ser resolvido de maneira multilateral", declarou.

Apesar de as notícias sobre espionagem não serem novidade, as denúncias do ex-técnico CIA, Edward Snowden, acenderam um alerta nas relações de vários países mencionados em relatórios secretos. “Esse assunto (espionagem) sempre foi objeto de notas, mais em blog do que jornais. Recentemente, quando começaram a sair as notícias geradas sobre o Snowden, passamos a acompanhar atentamente (...). Cheguei a mandar para a presidente Dilma várias informações sobre isso, porque desde o início apontava que havia um grande sistema de monitoramento”, disse Paulo Bernardo.

Um dos principais riscos para o País, de acordo com o ministro, seria a captura de informações industriais, consideradas estratégicas para o desenvolvimento econômico do Brasil. “Tem um cunho de espionagem política e acredito que de espionagem industrial, para se eliminar concorrência. Isso é muito grave, pois a privacidade das comunicações é uma conquista da democracia", falou.

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade