Brasil

publicidade
05 de maio de 2009 • 04h42

Pesquisa: 15% dos jovens que malham usam anabolizantes

 

Uma pesquisa publicada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostra que 15% dos jovens entre 18 e 35 anos que frequentam as academias de Salvador (BA) usam anabolizantes. Entre os homens esse número sobe para 21%.

Ainda segundo o estudo, os usuários que fazem musculação em academias de bairros de classe média alta têm alta escolaridade. "É impressionante. Até estudantes de medicina e nutrição fazem uso de complexos vitamínicos para animais", informou um dos autores do levantamento, Jorge Alberto Iriat.

Nessas academias, os pesquisadores presenciaram pessoas aplicando anabolizantes umas nas outras. Um dos professores entrevistados disse que usa anabolizantes para ficar com o corpo forte e conseguir mais alunos para dar aulas particulares.

Nas academias mais populares, a maioria dos freqüentadores disse que o investimento é quesito fundamental para colocação no mercado de trabalho. "Muitos dos praticantes de musculação nas academias populares trabalham ou fazem bicos como segurança, sendo essa ocupação, em contexto com o forte desemprego, a principal opção para a inserção no mercado de trabalho", afirma o estudo.

Ainda nas academias mais populares constatou-se que os alunos malham por segurança. Ou seja, querem "construir um corpo enorme que imponha respeito ao simples olhar".

A pesquisa foi dividida em duas partes: uma qualitativa, que durou oito meses e observou 43 usuários de anabolizantes em três academias específicas; e uma quantitativa, que entrevistou 1.200 alunos de 36 academias de Salvador.

JB Online JB Online