0

Parada Gay começa com hino nacional em versão eletrônica

6 jun 2010
12h57
atualizado às 15h15
Fabiano Rampazzo
Direto de São Paulo

Com o hino nacional tocado em versão eletrônica, a 14ª edição da Parada do Orgulho LGBT começou por volta das 12h50 em São Paulo. No horário, uma multidão de pessoas se aglomerava em duas quadras da avenida Paulista, entre as alamedas Casa Branca e Ministro Rocha Azevedo, em frente ao primeiro trio elétrico.

Participantes da Parada Gay carregam bandeira pela avenida Paulista
Participantes da Parada Gay carregam bandeira pela avenida Paulista
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Muitas pessoas foram ao local fantasiadas, mas a grande maioria eram curiosos que vão à parada apenas para assistir. "Cheguei cedinho aqui para conseguir o meu camarote", disse a manicure Jussara Alves Rangel, 52 anos, sentada com suas amigas no muro de um canteiro da avenida Paulista. "Viemos aqui apreciar porque achamos isso tudo muito legal", afirmou a dona de casa Marineide Souza, 52 anos.

Os organizadores da 14ª Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e trangêneros) de São Paulo esperam reunir neste domingo 3,2 milhões de pessoas na avenida Paulista. O público poderá acompanhar mais de 20 trios elétricos ao longo de 3,5 km. Assim como o tradicional Carnaval, a festa é preparada ao longo de um ano.

Com o tema "Vote Contra a Homofobia: Defenda a Cidadania!", os organizadores querem promover um debate sobre a importância de eleger políticos comprometidos com o respeito à diversidade.

Segundo o coordenador-geral do mês do orgulho LGBT de São Paulo, Manoel Zanini, o grupo LGBT conseguiu muitos reconhecimentos jurídicos ao longo desses 14 anos de Parada, mas ainda não atingiu nenhum direito constitucional. "O que mais precisamos é da criminalização da homofobia", disse ele, que acredita que essa realidade não esteja tão distante. "O que falta no Brasil para que isso seja aprovado é não eleger candidatos a cargos públicos que não reconheçam a igualdade de direitos."

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade