1 evento ao vivo

Papa encerra JMJ no Rio e confirma Cracóvia como sede em 2016

Conforme o Terra antecipou, cidade polonesa sediará próxima Jornada, dentro do processo de canonização do papa João Paulo II

28 jul 2013
12h04
atualizado às 13h52
  • separator
  • comentários

O papa Francisco confirmou neste domingo que a próxima edição da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 2016, será realizada em Cracóvia, na Polônia - a informação havia sido antecipada pelo Terra. "Queridos jovens, temos um encontro marcado na próxima Jornada Mundial da Juventude, no ano de 2016, em Cracóvia, na Polônia. Pela intercessão materna de Maria, peçamos a luz do Espírito Santo sobre o caminho que nos levará a essa nova etapa da jubilosa celebração da fé e do amor de Cristo”, disse o Papa. Ele falou diante de mais de 3 milhões de fiéis na praia de Copacabana, onde realizou a Missa de Envio e a oração do Ângelus, a oração do meio dia dos católicos, encerrando a JMJ.

<p>Peregrinos poloneses comemoram a confirmação de Cracóvia como sede da JMJ de 2016</p>
Peregrinos poloneses comemoram a confirmação de Cracóvia como sede da JMJ de 2016
Foto: Daniel Ramalho / Terra

A escolha do município polonês tem influência direta do processo de iminente canonização do papa João Paulo II, por onde foi, durante anos, arcebispo, antes de se tornar um dos líderes mais carismáticos da história da Igreja Católica. “Polônia, Polônia”, gritaram os peregrinos, que se espremeram na areia da praia mais famosa do Brasil.

Cracóvia é uma cidade próxima à Wadowice, cidade natal do papa João Paulo II. Esta será a segunda edição da JMJ a ocorrer na Polônia: a primeira foi em 1991, em Czestochowa. O papa polonês, que deve ser canonizado, foi o criador da Jornada Mundial da Juventude, cuja primeira edição foi em Roma, 1986. 

Confira todas as edições da Jornada Mundial da Juventude:

- 1986, Roma, Itália. Lema: "Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês”
- 1987, Buenos Aires, Argentina. Lema: “Nós conhecemos o amor que Deus nos tem, pois cremos nele”
- 1989, Santiago de Compostela, Espanha. Lema: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”
- 1991, Czestochowa, Polônia. Lema: “Vocês receberam o Espírito que os adota como filhos"
- 1993, Denver, EUA. Lema: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente”
- 1995, Manila, Filipinas. A maior já realizada até hoje, com 4 milhões de peregrinos. Lema: “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio"
- 1997, Paris, França. Lema: “Mestre, onde moras? Vinde e vereis"
- 2000, Roma, Itália. Lema: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós"
- 2002, Toronto, Canadá. Lema: “Vós sois o sal da terra... Vós sois a luz do mundo"
- 2005, Colônia, Alemanha. Lema: "Viemos adorá-lo"
- 2008, Sidney, Austrália. Lema: "Recebereis a força do Espírito Santo, que virá sobre vós, e sereis minhas testemunhas"
- 2011, Madri, Espanha. Lema: “Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé”
- 2013, Rio de Janeiro, Brasil. Lema: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” 

Hora de fazer discípulos
Grande lema da JMJ 2013, “Ide e fazei discípulos” foi a tônica da homilia da Missa de Envio e oração do Angelus, atos que encerraram o megaevento religioso na praia de Copacabana. O foco, como não poderia deixar de ser, esteve com os jovens. 

“Agora vocês devem ir e transferir esta experiência aos demais”, pronunciou o Pontífice. “A fé é uma chama que se faz mais viva quando compartilhada. Jesus não nos trata como escravos, mas como pessoas livres. Ele está sempre ao nosso lado nessa missão de amor. Para onde Jesus nos manda, não há fronteiras, não há limites”, completou. 

Em alguns momentos de entonação mais forte, deixando de lado os temas com caráter mais social - bastante presente em outros discursos do líder católico -, o papa Francisco conclamou “sua juventude” para uma missão. “A Igreja precisa do entusiasmo de vocês. Esse é o caminho a ser percorrido. Jovens tão criativos e audazes: sigam adiante e não tenham medo. A Igreja e o Papa conta com vocês”, disse. 

Autoridades
O último dia da JMJ 2013 foi acompanhado por três chefes de Estado na missa realizada na praia de Copacabana. A presidente da República, Dilma Rousseff, esteve acompanhada da presidente da Argentina, Cristina Kirchner. Outro líder sul-americano presente foi o boliviano Evo Morales. 

Quando a imagem das duas presidentes apareceu no telão, não foi pronunciado ao público a presença das chefes de Estado, evitando, desta forma, qualquer tipo de vaia e constrangimento diante da multidão. No único recado direto em termos de organização para o público, os condutores da cerimônia pediram apenas para que os jovens baixassem as diversas bandeiras da mais diferentes nações para que os peregrinos pudessem ter clara a vista do palco, mesmo que dos telões. 

Multidão em ação
Se o flash mob organizado pela Jornada Mundial da Juventude - que de nada teve de movimento espontâneo - será o maior do mundo, os órgãos responsáveis por este tipo de contagem de recorde, como o Guinness, dirão futuramente. O fato é que a coreografia armada para recepcionar o papa Francisco na Missa de Envio não foi seguida à risca pelos 3 milhões de fiéis que se espremeram na praia de Copacabana. 

Ensaiada exaustivamente por milhares de peregrinos, com campanhas na TV e divulgação em redes sociais, a coreografia de fácil execução enfrentou o empecilho do cansaço de quem madrugou na praia mais famosa do Brasil, e o fato de que, por mais que os passos fossem simples, não era fácil coordenar uniformemente tamanha multidão. 

Os momentos de palmas e pulos empolgaram os fiéis, e o mar de gente impressionava no telão. Tão logo os dançarinos no palco trocavam o passo e chamavam os fiéis, mesmo com alguns closes na imagem para auxiliar, ficou nítido que a multidão “se embaralhava” e não conseguia seguir uniformemente o que foi planejado. Porém, isso não tirou o ânimo de quem dormiu pouco para se despedir do Pontífice. 

Peregrinos exaustos
O cansaço que se abateu sobre os jovens participantes da JMJ já era visível antes do papa Francisco chegar ao palco montado em Copacabana para a missa de envio, que encerraria o evento religioso – vale lembrar que muitos perderam o último ato porque não conseguiram acordar e acompanhar de perto a cerimônia final. 

Antes de o papa Francisco subir ao palco para dar início ao último evento oficial da JMJ, os padres Renato Martins, diretor executivo dos Atos Centrais, e Jorjão, da igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, foram os encarregados de animar o público que pernoitou nas areias e ruas de Copacabana. 

Enquanto o papa Francisco, em seu papamóvel, tomava mais uns goles de chimarrão oferecidos por um fiel e beijava os rostos de mais algumas dezenas de crianças, na orla de Copacabana os padres tentavam uma interlocução com os jovens, puxando músicas católicas que não eram repetidas em coro. “Esta é a juventude do Papa” foi o único canto que a multidão teve forças ainda para pronunciar. 

Papa Francisco no Brasil
A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013 foi realizada entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro. O evento, organizado a cada dois ou três anos, promove um encontro internacional de jovens católicos com o Papa. Esta edição da JMJ reuniu mais de 3 milhões de pessoas, entre elas peregrinos de 175 países. A JMJ 2013 marcou também a primeira visita internacional do papa Francisco desde sua nomeação como líder máximo da Igreja Católica, em 13 de março deste ano. A próxima edição do evento será realizada em 2016, em Cracóvia, na Polônia.

vc e o Papa
Você já conheceu o papa Francisco no Brasil? Esteve na Jornada Mundial da Juventude no Rio ou em Aparecida? Participe do vc repórter e envie seus relatos, fotos ou vídeos com o Papa.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade